Já faz algum tempo em que o ambiente corporativo é compartilhado por pessoas de diversas idades. Diante das diferentes visões de mundo, aspirações e estilos de vida, surge o conflito entre gerações, que prejudica o clima organizacional e a produtividade.

Para lidar com esses conflitos sem perder tempo com “picuinhas geracionais” e mantendo a equipe sempre motivada, é preciso aproveitar as capacidades de cada geração de forma a construir interações que gerem sinergia.

Não acredita que isso seja possível? Então leia o post e entenda um pouco mais sobre as características cada geração que compõem as empresas e descubra como lidar com essa diversidade.  

Entenda as diferenças entre as gerações

O primeiro passo para lidar com as diferentes gerações dentro de uma empresa é compreender quais são as peculiaridades e o contexto que gerou cada uma delas. É o que vamos explicar agora.

Os Baby Boomers

São pessoas que nasceram entre 1948 e 1963. O nome se refere ao boom de bebês ocorrido após a 2ª Guerra Mundial, proporcionado pela melhoria sem precedentes das condições de vida no ocidente, durante esse período.

Os baby boomers gostam de conservar a tradição. Sua educação ocorreu de forma mais rígida, já que eles deviam ter muita disciplina. Quem se distanciava disso era visto como rebelde e deveria ser punido.

Essas características se refletem no ambiente organizacional, pois essas pessoas tendem a ser menos questionadoras, valorizando mais a disciplina e as formas tradicionais de executar as tarefas.

Além disso, os baby boomers costumam buscar segurança e um emprego estável.

A Geração X

A geração X é representada pelas pessoas que nasceram entre 1964 e 1977, período da ditadura militar no Brasil.

Eles passaram pelo contexto de lutas pela democracia e mudanças comportamentais, como a legalização do divórcio e o surgimento da pílula anticoncepcional.

Houve nesse período a inserção da mulher no mercado de trabalho, o que gerou novas conjunturas familiares.

A TV teve um papel muito importante para essa geração, influenciando na educação das crianças e nos hábitos de consumo.

As pessoas dessa geração normalmente buscam estabilidade financeira e crescimento na carreira. Anseiam por cargos mais altos na mesma empresa e colocam a vida profissional em primeiro lugar. É nesse momento que surge o termo “workaholics”, para designar pessoas viciadas em trabalho.

A Geração Y

São os indivíduos nascidos entre 1978 e 1994. Eles querem um crescimento rápido na carreira e necessitam de feedbacks constantes.

São muito diferentes das outras gerações, pois cresceram em um contexto político e econômico mais favorável e em meio a diferentes arranjos familiares.

As mães costumam ser mulheres independentes e os pais, muitas vezes pertencentes à geração X, são muito envolvidos com o trabalho e tentam compensar a ausência pagando cursos, esportes e viagens.

A geração Y é muito adepta da tecnologia e por isso está sempre conectada. Conseguem fazer várias coisas ao mesmo tempo. Cresceram com acesso à internet e, por isso, preferem buscar respostas imediatas.

Costumam aceitar bem a diversidade e demoram mais para sair da casa dos pais.

São mais ousados que as outras gerações. São participativos e gostam de expor suas ideias. Entretanto, têm dificuldade de aceitar e lidar com a hierarquia. Buscam construir uma carreira individual, sem se apegar a uma só organização.

Conheça as reclamações mais frequentes

Normalmente, os conflitos se situam com mais frequência entre a Geração Baby Boomers e a Geração Y.

Os veteranos costumam ver a geração Y como pessoas que não estão muito preocupadas com o trabalho, que não têm disciplina e que sempre ficam conectados à internet, sem foco, fazendo várias coisas ao mesmo tempo.

Da mesma forma, as novas gerações tendem a enxergar os veteranos como pessoas ultrapassadas, que não têm a mesma facilidade com as novas tecnologias e são muito resistentes às mudanças. Assim começam os conflitos.

Para um gestor, lidar com essas situações demanda tempo e nem sempre se consegue os efeitos esperados, o que pode prejudicar o ambiente de trabalho e reduzir a produtividade.

Desse modo, recomenda-se conhecer as peculiaridades de cada geração e ver como encontrar a sinergia entre eles.

Utilize as diferenças como sinergia

A aproximação entre as gerações pode gerar aspectos negativos, mas também pode proporcionar benefícios, como:

  • estimular a inovação;

  • encorajar a troca de ideias em busca de soluções;

  • instigar a inteligência emocional;

  • incentivar o desenvolvimento de relacionamentos com pessoas diferentes;

  • exercitar o respeito às diferenças;

  • retirar as pessoas da sua zona de conforto;

  • fortalecer o espírito de equipe;

  • reter talentos.

O líder é a peça-chave para transformar conflitos em sinergia, aproveitando os benefícios daí advindos.

Uma equipe formada por pessoas com saberes diversos, reunindo experiência, criatividade, inovação e senso de planejamento estratégico, é fundamental para alcançar resultados positivos.

Muitos empreendedores de sucesso já descobriram que mesclar as gerações em equipes de projetos favorece a criatividade e o rendimento, tornando as entregas mais qualificadas. Essa integração facilita a troca de aprendizado e minimiza os conflitos entre gerações.

Defina estratégias para integrar as gerações

Não importa a estratégias escolhida para favorecer a integração entre as gerações; sua empresa deve adotar como premissa uma cultura que favoreça o diálogo constante e a troca de opiniões.

Recomenda-se ter uma comunicação organizacional aberta, com canais que facilitem a troca de ideias.

Por que não promover reuniões para trocar impressões, pedir e fornecer feedbacks? Ter opiniões diferentes facilita a construção de uma mentalidade mais criativa, desde que os conflitos sejam devidamente administrados.

Além disso, é importante conscientizar cada geração de sua responsabilidade com a outra. Cabe aos veteranos demonstrar que não são tão inflexíveis, e aos mais jovens, buscar aprender com a experiência das outras gerações.

Outro aspecto que pode ajudar é eliminar as divisórias entre os ambientes. Assim, as gerações vão trabalhar mais próximas. A partir do momento em que alguém se aproxima do outro e entende sua forma de ver o mundo, suas origens e sua história, fica mais simples compreender suas atitudes.

Agora que você já entendeu quais são as características das diferentes gerações e como lidar com o conflito entre gerações, que tal colocar em prática as dicas deste post e ver a diferença no clima e no rendimento da sua empresa?

Aproveite e compartilhe estas dicas incríveis nas suas redes sociais!