O RH tem evoluído muito nas últimas décadas, e mais especificamente nos últimos anos. Hoje, é um setor estratégico e essencial à sobrevivência da empresa, capaz de atrair, reter e motivar ótimos talentos. A questão é: como aplicar a inovação no RH?

Esse deve ser um questionamento diário, pois mudanças sempre existirão e demandarão uma gestão de pessoas fora do “lugar comum”. Portanto, é preciso estar atento às tendências, disposto a abraçar o novo e se destacar da concorrência.

Por isso, reunimos uma série de informações sobre o assunto e algumas das mais atuais tendências. Portanto, continue com a leitura e veja como promover inovação no RH.

Como o RH pode contribuir para a inovação?

O mercado tem mudado rapidamente. Estamos na quarta revolução industrial e passamos por uma das maiores transições de todos os tempos, em que o mundo real e o digital estão se tornando um só. Como o RH deve se posicionar diante disso?

É preciso construir uma cultura na qual a mudança seja bem-vinda, encarada como parte indissolúvel do negócio e eficaz para o crescimento. Isso tem sido feito por uma série de empresas. Segundo a Deloitte, 56% das empresas — incluindo brasileiras — estão reformulando processos de RH para aproveitar ferramentas digitais.

Para que a empresa possa inovar, o próprio RH deve se manter aberto às mudanças. É preciso abandonar hábitos antigos e onerosos, insuficientes ao sucesso empresarial.

O RH deve adotar uma configuração 3.0, digital. Precisa migrar processos tradicionais, feitos em planilhas e papéis, para sistemas modernos e que funcionem online. Um ótimo exemplo disso é o controle dos benefícios complementares, que hoje pode ser feito por meio de cartões de ponta, gerenciado e monitorado pela própria internet.

De igual modo, é preciso estar atento às tendências de mercado e pronto para integrar inovações à gestão de pessoas. Desse modo, ótimos resultados serão alcançados.

Quais as principais tendências para o RH?

Confira agora mesmo!

Automação de processos

Uma das principais tendências é a automação de processos, que já pode ser vista em muitas empresas. O RH estará cada vez menos envolvido em tarefas operacionais e burocráticas, por exemplo, a de análise de currículos.

Modernos sistemas já facilitam e automatizam boa parte do fluxo de trabalho. No processo de contratação, simplificam a requisição de pessoal (RP), automatizam a triagem de currículo e o levantamento de indicadores.

A verdade é que a automação de processos é inevitável, e estará cada vez mais presente dentro das empresas. Além da contratação, a análise de cargos e salários e a análise de desempenho já sofrem grandes mudanças por conta dessa tecnologia.

Seleção às cegas

Outro exemplo está menos ligado à tecnologia e mais à responsabilidade social corporativa. O intuito é reduzir o preconceito na hora da contratação, dando maior igualdade aos participantes. Esse processo é conhecido como “seleção às cegas”.

Nesse processo, as empresas utilizam plataformas de vagas que ocultam informações que possam levar à discriminação na seleção, como idade, estado civil, gênero, cidade ou etnia. Desse modo, o foco principal está nas competências de cada profissional.

Essa tendência pretende agregar maior diversidade aos negócios, visto que pessoas de diferentes idades e gêneros poderão ser integradas ao mesmo ambiente. Como é de se esperar, essa diversidade também facilita a inovação dentro da organização.

Formulação da marca empregadora

A busca pelos profissionais “estrelas”, que se destacam no que fazem, é cada vez maior. Mas os desafios são muitos! Em nível mundial, 38% dos empregadores afirmam ter dificuldades em encontrar talentos, no Brasil a situação é ainda pior.

Sabendo disso, as empresas inovadoras buscam construir uma forte marca empregadora, capaz de atrair os maiores talentos e retê-los por longo prazo. Também chamada de employer branding, a ideia é tornar a empresa um ímã de talentos.

Há uma série de dicas para criar a marca empregadora. A principal é tornar os atuais empregados verdadeiros embaixadores da marca, isto é, pessoas que falam bem para seus amigos e familiares da empresa na qual trabalham. Esse é um ótimo começo!

Tomada de decisão com Big Data

A última tendência é o Big Data, comumente chamado de People Analytics. Consiste em usar uma grande base de dados para a formulação de estratégias e tomada de decisões acertadas, capazes de beneficiar a empresa e a própria gestão de pessoas.

Há muitos dados que podem ser usados pelo RH, seja em planilhas, relatórios, redes sociais, sites de empregos ou sistemas de gestão de RH. Com a ferramenta certa, é possível extrair e estruturar esses dados, garantindo uma visão mais holística ao gestor e arquitetando uma base mais sólida para a tomada de boas decisões.

Para que o Big Data tenha sucesso, é preciso de 3 principais V’s: volume, variedade e veracidade nos dados. Quando mais dados tiver, variados e dotados de verdade, mais fácil será fazer uma análise real e capaz de impulsionar a organização ao sucesso.

Como aplicar as mudanças de inovação no RH?

Existem muitas medidas que podem facilitar a inovação no setor de RH e na gestão de pessoas, sendo que a maioria dependendo especialmente da alta administração.

Em primeiro lugar, é preciso construir uma cultura na qual a mudança e a inovação sejam bem-vistas. Não há para onde fugir, tudo está mudando e somente com inovações, mesmo pequenas, é possível manter a saúde e competitividade do negócio.

A segunda dica é ter o apoio da alta administração, sem ela será muito difícil promover mudanças na empresa. A liderança precisa aprovar muitas das ideias inovadoras e liberar orçamento para que a inovação se torne realidade. Portanto, tenha uma boa conversa com o CEO e outros executivos da sua empresa.

Finalmente, é preciso criar uma estrutura flexível, onde mesmo aqueles que estão na base da empresa possam apresentar suas ideias para a melhoria da gestão de pessoas.

A inovação no RH não deve ser algo restrito a esse setor, profissionais de fora podem ter excelentes ideias e elas devem ser bem aproveitadas para o sucesso de todos.

Como é possível observar, a mudança no RH e na maneira de gerenciar pessoas é inevitável, então, é preciso se adaptar. Esteja atento às tendências, como a automação e o employer branding, depois transforme processos e torne seu RH mais estratégico.

Gostou do nosso artigo e está pronto para a inovação no RH? Agora, aproveite para continuar aprendendo. Descubra Como a inovação pode ajudar na administração da sua empresa. Até lá!