Se a sua empresa, seja ela pequena, média ou grande, não possui um bom ambiente de trabalho, dificilmente ela vai atrair colaboradores dedicados.

Como contar com esse tipo de profissional é determinante para o sucesso do negócio, o clima organizacional deve ser uma das principais prioridades.

Se você ainda não faz a menor ideia de como realizar a avaliação de clima organizacional, já passou da hora de aprender. Mais do que isso, é fundamental saber avaliar os resultados. Afinal, eles indicam quais são os pontos que devem ser melhorados.

Venha com a gente para descobrir como aplicar os resultados dessa avaliação de forma efetiva e, assim, executar as mudanças realmente necessárias no ambiente do seu negócio!

Como transformar o clima organizacional de uma empresa

Essa transformação depende de um elevado poder de análise sobre os problemas que rondam a organização. Os obstáculos podem ser poucos ou múltiplos, mas o fato é que eles não só existem como sofrem constantes mutações ao longo do tempo. Por sinal, isso ajuda a explicar por que a pesquisa de clima organizacional deve ser feita de tempos em tempos.

Basicamente, você precisa identificar quais são as mudanças que precisam ser efetuadas imediatamente. Trata-se daquelas alterações que não podem ficar para o próximo semestre. Naturalmente, existem medidas que surtem efeitos somente de médio a longo prazo. Todas essas diferenças temporais precisam estar bem nítidas. Então, vamos por partes!

Medidas a serem tomadas com efeitos em um curto prazo

Nesse caso, as medidas se referem a itens básicos, aqueles que não deveriam ser negligenciados em nenhum ambiente de trabalho. A falta de suprimentos adequados é algo que incomoda quase todos os colaboradores e mina a legitimidade dos gestores para cobrar proatividade e criatividade dos funcionários.

Imagine uma empresa onde há uma grande demanda pela impressão de relatórios. Se não houver um bom estoque de papel e tôner de impressão, por exemplo, toda a fluidez do trabalho fica comprometida. Outro exemplo é a internet banda larga. Se os colaboradores dependem de uma conexão de alta velocidade para executar suas tarefas com a qualidade esperadas, não dá para oferecer uma conexão limitada.

Em ambas as situações — e em muitas outras —, o próprio ânimo dos funcionários vai para baixo. Portanto, o mínimo que a empresa pode oferecer é um conjunto de condições ideais de trabalho. A ausência dessa infraestrutura inviabiliza, inclusive, uma futura cobrança a respeito do trabalho que é entregue diariamente. Portanto, lembre-se de manter os suprimentos em dia. Preferencialmente, antecipe-se à falta de um determinado item.

Medidas a serem tomadas com efeitos a médio prazo

Com relação aos efeitos que podem ser sentidos a médio prazo, convém voltar a atenção para o processo de desempenho dos colaboradores. Se a falta de suprimentos lhes incomoda, a baixa frequência de feedbacks também. Assim, não é incomum que, durante a pesquisa de clima organizacional, muitos funcionários reclamam que não sabem para onde estão indo.

Com isso em vista, preocupe-se em adotar uma política de feedbacks contínua e constante. A inexistência dessas avaliações compromete o clima da empresa, pois gera angústia e desorientação nos funcionários. É bem difícil tentar aprimorar os resultados quando não se sabe se o trabalho é bem ou mal avaliado pelos superiores. Portanto, os feedbacks devem compor a rotina da organização.

Paralela e simultaneamente a isso, é preciso ter um bom planejamento de treinamento. Os treinamentos são necessários para os mais diversos motivos e se diversificam de acordo com o ramo de atividade do negócio. Se uma empresa depende de um aparato tecnológico que deve ser frequentemente renovado, os colaboradores precisam ser devidamente atualizados quanto aos novos mecanismos.

Até mesmo uma empresa que atue no ramo comercial precisa repensar suas metodologias de treinamento. Afinal, como os vendedores devem superar as expectativas dos consumidores? Quais são as abordagens mais eficazes durante a apresentação de um produto? Qual é o papel de um vendedor na etapa de conversão de um simples consumidor para um verdadeiro cliente?

Atuem nos bastidores ou na linha de frente do negócio, os colaboradores personificam a própria empresa. Então, é necessário, por meio da avaliação do clima organizacional, saber identificar as necessidades de melhoria das diferentes equipes.

Cabe ao setor de RH trabalhar os pontos-chave e elaborar um programa de treinamento que atenda às expectativas dos colaboradores e da própria empresa. Ao lado de supervisores, gerentes e diretores, o RH deve apresentar propostas de metodologias de treinamentos que sejam compatíveis com o planejamento estratégico da organização.

Nesse sentido, vale a pena variar o programa e investir em workshops e palestras (motivacionais ou puramente informativas), além de incentivar a participação dos funcionários em congressos da área de atuação. Aproveite para rever a política de benefícios concedida a eles, pois esse é um bom momento para isso.

Medidas a serem tomadas com efeitos em um longo prazo

Repare que o plano de carreira é algo que ainda move os passos da grande maioria dos funcionários. Pensando na estratégia da organização, não basta atrair grandes talentos, mas igualmente retê-los. Para atender a esse propósito, um bom plano de carreira vem bem a calhar.

Para ser realmente bom, esse plano de carreira precisa ouvir o que os funcionários têm a dizer — a pesquisa de clima serve para isso. Observe quais são as ambições das pessoas que estão a sua volta. Evidentemente, o plano de carreira oferecido pela empresa também deve contribuir para a concretização das estratégias do negócio.

O segredo consiste em equilibrar os interesses de ambas as partes envolvidas: empresa e funcionários. Atualmente, os melhores colaboradores já possuem o seu próprio plano de carreira definido. Mas isso não significa que eles não sejam flexíveis. No fundo, trata-se de mais um jogo de negociação. Caso ouça uma contraproposta, o gestor deve ser capaz de pensar em alguma outra contrapartida.

O importante é que o colaborador dedicado e alinhado com a organização sinta que, naquele ambiente agradável e bem estruturado, ele tem tudo o que precisa para crescer profissional e pessoalmente.

Ao se enxergar os resultados da avaliação de clima organizacional com outros olhos, fica muito mais fácil perceber quais são as ações de curto, médio e longo prazo. Com base nos exemplos mencionados, você já deve ter um bom ponto de partida em mente. Basta relacioná-los à realidade do seu negócio!

Depois de aprender um pouco mais sobre o clima organizacional, que tal receber as mais novas atualizações de uma forma simples e direta? Assine nossa newsletter e fique por dentro das principais novidades que movem a gestão de empresas!