O fornecimento de benefícios aos funcionários é algo extremamente positivo para o negócio. Não por acaso, quando podem contar com eles, os profissionais se sentem mais motivados e satisfeitos com seu ambiente de trabalho e, como resultado, ampliam sua produtividade.

Além disso, há bonificações cuja solicitação não é custosa à empresa, como os cartões de benefício, o que faz com que as vantagens sejam multiplicadas. Contudo, muitas companhias têm dúvidas sobre como proceder em relação a esses benefícios após uma demissão, seja ela efetuada pelo empregador ou solicitada pelo colaborador.

Considerando a relevância do tema, vamos mostrar o que deve ser feito nesse caso de acordo com a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT). Dessa forma, você será capaz de agir com embasamento, ética e sabedoria, evitando futuros problemas. Aproveite a leitura!

Cancele o recebimento dos benefícios

Quando o colaborador pede demissão ou quando a própria empresa toma essa iniciativa em relação a ele, o primeiro passo é cancelar o recebimento dos benefícios dos funcionários. Essa etapa é importante, pois impede que o profissional siga recebendo as bonificações após seu desligamento da empresa, o que geraria gastos desnecessários.

Isso costuma acontecer com os cartões de vale-transporte, que continuam sendo recarregados mesmo após a saída do funcionário. Por isso, é primordial que os gestores se organizem a fim de excluir os dados do indivíduo da plataforma online em que seus benefícios são renovados.

Caso a empresa não utilize esse meio digital, é importante riscar o nome da lista utilizada para controle ou de outra ferramenta que esteja sendo utilizada para esse fim. Ou seja, deve haver uma ação imediata para não gerar gastos, erros e complicações futuras.

Dessa forma, os gestores conseguem se organizar melhor e atuar de maneira legal e justa, sem cometer excessos ou faltas em relação aos benefícios dos funcionários após uma demissão.

Faça os reembolsos necessários

Muitas vezes, quando o profissional pede demissão ou quando é dispensado, os cartões de benefício já foram recarregados, sendo suficientes para o mês inteiro de trabalho. Porém, como o colaborador não está mais atuando na empresa, ele não tem direito de receber as bonificações proporcionais aos dias em que não vai trabalhar.

O mesmo acontece quando o funcionário entra de férias e não recebe os benefícios referentes a esse período, tais como vale-refeição, vale-transporte e outros valores que só seriam necessários durante a atuação do indivíduo.

Mas, afinal, o que fazer com os valores já depositados? Após a demissão do profissional, a empresa pode realizar os reembolsos necessários, descontando o valor no acerto do funcionário. Tudo isso deve estar descrito com clareza na folha de pagamento, ou seja, é preciso constar qual foi o valor descontado e com referência a quais dias a empresa está sendo reembolsada.

Esse processo deve ser explicado de maneira muito clara para o colaborador, a fim de não gerar mal-entendidos e de deixar explícita a justiça em fornecer o reembolso referente aos dias nos quais o indivíduo não estará mais inserido no quadro de pessoal da companhia, não tendo, portanto, mais direito a tal benefício.

Agindo dessa forma, a empresa mostra seriedade e compromisso com as determinações legais, além de deixar claro ao profissional o respeito e a consideração que tem por ele ao atuar com base nos valores éticos.

Aprimore a administração dos benefícios

Para saber o que fazer com os benefícios dos funcionários após uma demissão, a companhia precisa ter esse sistema previamente bem administrado. Ou seja, os gestores devem ter o maior controle possível sobre sua política de bonificações — de preferência, por meio de uma plataforma virtual, com a emissão de relatórios mensais.

Assim, o negócio consegue ter organização sobre os valores exatos que estão sendo oferecidos para os profissionais, bem como sobre as datas de recarga e a proporcionalidade com os dias do mês.

Como os cartões de benefícios ajudam nesse controle?

Tendo em vista a importância de administrar bem essa questão, o ideal é que sejam contratados cartões de benefícios, pois fornecem maior possibilidade de controle. Um exemplo disso são os cartões VR, que têm chips implantados com o objetivo de minimizar danos em casos de perda ou roubo. Como são cadastrados em uma plataforma virtual, a empresa poderá verificar todo o andamento do fornecimento de bonificações 100% online e sem custos para implantação.

Os cartões VR contam com o VR Refeição, para que os colaboradores possam fazer suas refeições em restaurantes, lanchonetes e afins, e o cartão VR Alimentação, para realizar compras em hipermercados e supermercados.

Além desses, há o cartão VR Auto, para pagamento de combustível e serviços em postos de combustíveis, e o cartão VR Transporte, para que o funcionário tenha acesso aos transportes públicos. Por fim, o cartão VR Cultura possibilita ao profissional ter acesso a cinemas, teatros, livrarias e afins.

Quais as vantagens para a empresa?

Ao fornecer os benefícios por meio de cartões com chip, a companhia ganha em segurança, estabilidade do serviço e ainda conquista a confiança e satisfação de seu pessoal, que vai se sentir valorizado.

Já nos casos de demissão, o controle do reembolso e do cancelamento dos benefícios pode ser feito com mais exatidão, afinal, a plataforma virtual fornece os dados exatos e com datas — tudo muito organizado para que não haja dúvida nesse processo.

Outro ponto positivo é que a empresa estará alinhada com as determinações da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) e terá como provar com mais facilidade que fornece os benefícios e cumpre com as obrigações legais.

Como podemos perceber, lidar com os benefícios dos funcionários após uma demissão não é uma tarefa que requer complexidade. É preciso estar atento às regras apresentadas pela Lei e atuar em comum acordo para que não sejam gerados transtornos ou mal-entendidos. Atuar em prol da ética e da justiça é um ponto muito positivo para a companhia, pois a torna confiável e bem-vista aos olhos do público interno e externo.

E aí, gostou do nosso artigo? Quer receber mais posts como este? Assine nossa newsletter e fique por dentro de nossas novidades!