Há muitos empresários que conseguiram construir um restaurante de sucesso, como Robinson Shiba, da China Inbox, Daniel Mendez, da Sapore, e a chef Paola Carosella. Mas qual o segredo? Como eles conseguiram chegar ao topo e se diferenciar?

Com toda certeza não é um processo fácil. É preciso enfrentar concorrentes, negociar com fornecedores, engajar funcionários e encantar clientes. Mas podemos resumir tudo em três pilares — a qualidade da refeição, o atendimento e a gestão dos custos.

Neste artigo, vamos ensinar o segredo dos grandes e apresentar as principais dicas para construir um restaurante realmente bem-sucedido. Então, continue lendo!

Afinal, o que aprender com os grandes?

Um importante segredo de empreendedores e chefs bem-sucedidos é olhar para quem já chegou ao topo. O intuito não é copiar, mas aprender com eles e traçar sua própria trajetória. No marketing, essa estratégia é tecnicamente chamada de benchmarking.

Veja o exemplo de Daniel Mendez, fundador da Sapore: ele aproveitou uma lacuna de mercado para criar um restaurante corporativo. No primeiro ano, em 1992, já servia cerca de 250 refeições. No seu caso, está deixando de aproveitar algum segmento?

Outro ótimo exemplo vem do fundador da China Inbox, Robinson Shiba. Ele se destacou vendendo comida chinesa em caixa, algo diferente do que até então se via aqui no Brasil. A inovação deu certo e, hoje, são mais de 130 restaurantes.

Além desses, separe mais dois ou três restaurantes de sucesso que podem servir de inspiração. Avalie qual a estratégia, como é o atendimento, qual a preocupação com a comida e outros pontos importantes, depois aplique as lições no seu negócio.

Quais os pilares para ter um restaurante de sucesso?

De imediato, é possível destacar três características dos restaurantes que conseguem sustentar o sucesso no longo prazo. Confira!

Qualidade da refeição servida

Se a sua comida é de baixa qualidade, nenhum cliente vai voltar à empresa ou recomendá-la aos amigos e familiares. Por outro lado, uma boa refeição deixa marcas indeléveis na mente e no coração dos clientes. Você se preocupa com a qualidade?

No ramo da alimentação, isso significa fazer uma refeição com um grau positivo de excelência. Também é criar a melhor refeição com o orçamento e os ingredientes disponíveis. Assim, poderá superar a expectativa dos clientes finais.

Mas para que a qualidade seja superior a cada momento, é preciso fazer duas coisas: investir em programas de aperfeiçoamento, como o ciclo de Deming, e monitorar a satisfação do público-alvo, obtendo feedbacks sobre pontos positivos e negativos.

Para monitorar a satisfação do cliente, o indicador mais utilizado é o NPS (do inglês Net Promoter Score). Ele se baseia em uma única pergunta, chamada de “a pergunta definitiva”, para classificar os clientes detratores, neutros e promotores da marca.

Excelência no atendimento ao cliente

Um recente estudo mostra que 86% dos clientes migram para a concorrência por conta do mau atendimento e isso certamente inclui a área da alimentação. Mais: as empresas brasileiras, juntas, perderam US$217 bilhões em 2015, só por atender mal.

Não adianta apenas oferecer uma boa refeição. Também é preciso tratar bem o cliente e encantá-lo em cada ponto de contato. Se não for assim, dificilmente ele permanecerá por muito tempo no restaurante ou voltará para fazer outras refeições.

Mas que fique claro: para atender bem o público externo é preciso tratar bem o público interno, os colaboradores. Todos devem estar entusiasmados para executar as tarefas diárias com agilidade, acerto e qualidade, bem como atender com excelência.

Outra dica é pensar em cada ponto de contato com o cliente, da entrada até a emissão do cupom fiscal, avaliando o que pode ser melhorado no tratamento. Ser educado, sorridente, disponível e ágil são itens fundamentais, não diferenciais competitivos.

Gestão dos custos operacionais

Ao seguir as duas primeiras dicas, conseguirá atrair e reter clientes, bem como gerar receita ao funcionamento do estabelecimento. Mas todo negócio tem despesas e um restaurante não é diferente. Então, é preciso fazer uma boa gestão dos custos.

Quando as despesas são elevadas, a margem de lucro é menor ou até inexistente. Mesmo restaurantes amados e movimentados podem ir à falência, caso não haja gestão financeira e uma verdadeira preocupação com o desempenho econômico mês a mês.

No entanto, reduzir custos não é uma tarefa fácil. Bob Fifer, escritor do livro “dobre seus lucros”, afirma que uma boa estratégia é dividir os custos em dois tipos:

  • estratégicos: capazes de gerar mais negócios, como canais de recebimento;
  • não estratégicos: necessários ao funcionamento, como impostos ou energia.

O objetivo é simples: reduzir ao máximo os custos não estratégicos, afinal, eles não garantem o sucesso do restaurante. Já os custos estratégicos devem ser otimizados, assegurando que o estabelecimento gaste mais do que a concorrência no que importa e gere mais receita.

Como integrar novos canais de recebimento?

Por fim, é preciso lembrar que um restaurante bem-sucedido deve ter vários canais de receita. Isso significa que ele não deve ser restrito ao recebimento à vista ou no cartão de débito/crédito. Afinal, hoje em dia, existem múltiplas formas de pagamento.

Um meio muito importante é o vale-refeição. Funcionários de empresas que oferecem esse tipo de benefício podem utilizá-lo em seu restaurante, gerando mais receita e lucro no final do exercício. Também pode ser o início de uma relação longa e saudável.

Há outras vantagens para o restaurante. De imediato, ao aceitar o vale-refeição, passa a fazer parte de uma vasta rede de restaurantes que aceita esse tipo de benefícios. Isso pode ser usado como estratégia de marketing, permitindo a atração de mais clientes.

Outro benefício está na agilidade. O reembolso do valor da refeição pode ser feito no dia seguinte — um prazo muito melhor do que o oferecido pelo cartão de crédito e até pelo de débito.

Como pode observar, para arquitetar um restaurante de sucesso é preciso pensar em uma série de fatores. Atendimento ao cliente, qualidade do serviço e gestão dos custos são só os principais. Também é necessário encontrar novos canais de recebimento. Mas tudo vale a pena, pois permite construir um empreendimento amado e bem-sucedido.

Agora que está por dentro do tema, aproveite para continuar aprendendo conosco. Separamos uma lista com 5 empreendedores de sucesso para você se inspirar. Confira!