A gestão de talentos nas organizações tem sofrido mudanças nos últimos tempos, principalmente por conta da entrada dessa nova geração de pessoas mais conectadas e com visões profissionais diferente das anteriores.

Se ontem os profissionais prezavam apenas por estabilidade e bons salários, hoje em dia há muitos outros fatores em jogo: oportunidades de crescimento e aprendizado, mobilidade e flexibilidade nos horários de trabalho, valores éticos e culturais, etc. Atrair e reter talentos se torna cada vez mais complexo. Daí a necessidade de uma estratégia sólida de employer branding.

A marca empregadora é uma forma de posicionar a imagem da sua empresa no mercado de trabalho, de forma a atrair os profissionais certos para a organização.

Pensando nisso, preparamos este post para que você entenda melhor a importância dessa estratégia e veja alguns exemplos de boas práticas nesse campo.

O que é Employer Brandig?

Como já foi dito, employer branding (marca empregadora) se refere a um conjunto de práticas e técnicas que pretendem fortalecer pontos positivos de uma organização, de modo a fortalecer sua boa imagem junto aos profissionais do mercado.

Promover o employer branding numa empresa permite aumentar sua atratividade perante os talentos do mercado, principalmente se houver investimentos em rotinas inovadoras, diminuição da burocracia e promoção de valores culturais alinhados ao público profissional que se deseja atrair.

Algumas empresas que se destacam nessa área são as startups e demais companhias tecnológicas, como os gigantes Google e Facebook.

Qual a importância da marca empregadora?

Empresas que possuem alto nível de employer branding conseguem defensores engajados de suas marcas entre os próprios colaboradores, que passam a disseminar o quão bom é trabalhar nesses locais. Desse modo, acabam por colaborar na atração de outros profissionais.

As organizações também obtêm melhores níveis de retenção de colaboradores, bem como costumam atuar com maior ênfase na motivação e engajamento deles em suas funções e atividades organizacionais.

Quando uma empresa transmite positivamente seus valores, missão e visão de negócio, de forma condizente com suas ações e clima interno, bem como sua personalidade e cultura organizacional, ela consegue construir uma imagem positiva no mercado.

Isso também permite atrair indivíduos qualificados que têm sintonia e afinidade com tais pontos, melhorando o trabalho, aumentando a produtividade e unindo esforços mais facilmente na busca dos objetivos empresariais.

Um nível elevado de employer branding transforma uma organização em parâmetro, não apenas entre colaboradores, como também entre fornecedores e concorrentes, sendo que  com estes pode-se estabelecer relações de respeito mútuo.

Qual a influência dessa estratégia nas empresas?

Contratar os melhores profissionais do mercado, principalmente na área de Recursos Humanos, pode ser uma tarefa difícil para as pequenas empresas. Pessoas altamente qualificadas contam, de uma maneira ou de outra, com maior poder de escolha.

Elas optam por trabalhar em organizações que ofertam as melhores vantagens. Além do salário, a maioria busca por empresas em que sejam valorizadas. Por isso, ser um ótimo lugar para trabalhar, muitas vezes, está no topo dessa lista.

Desse modo, executar técnicas de employer branding é uma ótima forma, não apenas de recrutar funcionários cada vez mais capacitados para uma companhia, mas também de auxiliar na manutenção da satisfação daqueles que já trabalham nela.

Quando uma empresa desenvolve uma estratégia bem-sucedida de marca empregadora, as necessidades de investimento em captação, seleção e contratação de colaboradores diminuem. Há maior espontaneidade na busca pelas vagas da empresa.

Outras vantagens dessa estratégia estão no aumento da produtividade da empresa, além da melhoria do relacionamento interno, pois se trata de uma técnica que mantém os colaboradores engajados no trabalho que realizam.

Como gerar bons resultados?

Selecionamos algumas das melhores prática de employer branding para você conhecer melhor. Confira!

Entender os objetivos organizacionais a curto, médio e longo prazo

É importante definir e entender os objetivos da empresa para saber quais serão os talentos necessários no curto, médio e longo prazo.

Dessa forma, é possível dividir recursos e aumentar/diminuir os investimentos ao longo do tempo, de forma acertada, visando atrair/manter os profissionais que mais agreguem valor à empresa.

Definir grupos internos e externos para estabelecer estratégias

É fundamental determinar quais grupos internos deverão ser treinados e capacitados para cargos estabelecidos, como os de liderança, e quais grupos externos de profissionais devem ser trabalhados para se atrair talentos (faculdades, profissionais com MBA, gestores experientes etc). Dessa maneira, é viável destinar fundos para ações que objetivem assegurar a atração para ambos, aumentando consequentemente o employer branding da companhia.

Melhorar os níveis de atratividade dos benefícios e propostas

É importante melhorar as vantagens da empresa no mercado, porém, lembrando-se de aplicar ações sustentáveis que não prejudiquem o orçamento do RH, nem as finanças da empresa. Outro ponto vital é buscar a diferenciação dos benefícios.

Estruturar as ações para diferentes canais de comunicação

Investir e estruturar ações de comunicação para diferentes meios é essencial para difundir a imagem da empresa em públicos distintos.

Estabelecer um bom canal de comunicação

No geral, é fundamental que haja sempre uma constante troca de informações, nutrindo o convívio agradável e o alinhamento dos colaboradores na instituição.

A função de um desenvolvedor, por exemplo, pode aparentar confusa para os não são do setor — e é aqui que aparece a relevância de um canal de comunicação apropriado.

Se isso parecer um pouco difícil, tenha em mente que essa é uma estratégia de resultados em longo prazo e que deve ser incentivada em toda a organização.

Se existe unidade, é crível que os resultados sejam consequência. Afinal das contas, reconhecimento, boa comunicação e bom ambiente de trabalho devem ser tarefas árdua para todos.

Estabelecer um plano de implementação e acompanhamento

Finalmente, determine um planejamento para implantação das dicas e práticas indicadas acima, com instruções sobre atividades, campanhas de marketing e indicadores e controles para acompanhamento dos resultados. Recorde-se também de estabelecer escolhas e práticas de readequação para os procedimentos que não forem como o esperado.

Em resumo, muitas instituições sofrem com um alto índice de turnover (a taxa de rodízio) de seus profissionais e passam acrescentar em custos, pois além do gasto de rotatividade existe o tempo de onboarding, o período de treinamento e adaptação do novo profissional, que geralmente custa adiamento nos procedimentos da empresa.

Porém, aplicando essas orientações a estratégias de employer branding, sua organização terá resultados de excelência, mais profissionais capacitados e com fit cultural, todos querendo participar e se manter em seu time de colaboradores.

Após entender melhor como aplicar uma estratégia de marca empregadora para atrair os melhores profissionais à sua empresa, aproveite e receba conteúdos atualizados em sua caixa de e-mail. Para isso, assine nossa newsletter!