A gestão de pessoas na sua empresa é eficaz? Em uma era onde a tecnologia domina todos os espaços, muitos empresários acabam se esquecendo de cuidar das pessoas que estão por trás de tudo. São seres humanos com necessidades específicas que precisam de atenção, ou acabam ficando desmotivados. 

Adotar boas ferramentas de RH é o caminho mais eficiente nesse sentido. A implementação das melhores práticas do mercado e o acompanhamento de tendências ajuda os profissionais a se sentirem mais satisfeitos e, com isso, apresentarem maior produtividade e melhores resultados.

Mas, para que isso seja possível, é fundamental conhecer a fundo o que é a gestão de pessoas e como ela impacta o sucesso do negócio. Se você quer obter vantagens competitivas com a ajuda de seus colaboradores, confira este guia e transforme a sua empresa em uma referência no mercado!

O que é a gestão de pessoas e qual a sua importância?

A gestão de pessoas é um conjunto de atividades que visam proporcionar o bem-estar dos colaboradores, aliando suas entregas às demandas da organização. Para ter uma gestão de pessoas eficiente, é importante compreender melhor como ela é estruturada e de que forma deve ser aplicada.

Os profissionais de RH geralmente têm essas definições em mente com maior clareza, mas nem sempre os gestores e empresários conseguem assimilar muito bem todas essas vertentes. Por isso, vamos falar um pouco mais sobre o assunto no próximo tópico.

Quais são os pilares da gestão de pessoas?

A gestão de pessoas se baseia em 5 pilares principais, que explicaremos abaixo!

Motivação

A motivação é a razão pela qual cada indivíduo age em uma determinada situação. Não é algo que se possa conceder aos colaboradores, como uma recompensa por um bom trabalho. Ela vai além disso e envolve questões mais individuais, que variam de pessoa para pessoa e de contexto para contexto. 

Já a satisfação é mais fácil de promover, seja pela adequação salarial, por um bom pacote de benefícios ou mesmo por programas de recompensa. Nesse contexto, o papel do RH é garantir a satisfação dos colaboradores, propiciando um ambiente mais favorável para estimular a motivação.

Comunicação

A comunicação é o pilar que estabelece a conexão de todos os outros. Uma comunicação eficaz elimina os ruídos e burburinhos, melhora o clima organizacional e contribui com a motivação dos colaboradores. A cultura de feedback é a principal ferramenta desse pilar e, quando bem implementada, gera excelentes resultados para o negócio.

Trabalho em equipe

O trabalho em equipe é diz respeito à interação entre os colaboradores. Ao RH cabe a manutenção da boa convivência entre essas pessoas, proporcionando um equilíbrio entre suas habilidades e deficiências. Assim, é possível construir times mais fortes, capazes de superar desafios e entregar bons resultados.

Conhecimento e competência

O conhecimento é aquilo que cada profissional sabe e a competência é o quão bom em realizar seu trabalho ele é. São conceitos que andam muito juntos e que se complementam. O equilíbrio entre eles é capaz de melhorar a eficiência do colaborador, além de abrir portas para novos desafios.

Treinamento e desenvolvimento

Por fim, o pilar de treinamento e desenvolvimento cuida da evolução dos colaboradores e, consequentemente, da empresa. Nele, o RH precisa fazer uma avaliação da situação atual em que se encontra a empresa e entender quais são os pontos que podem ser melhorados com a ajuda de uma capacitação. 

O planejamento desse processo deve envolver toda a organização e considerar questões pontuais de cada colaborador, bem como a visão geral do negócio. A estratégia da empresa deve ser o principal norteador dos planos de treinamento e desenvolvimento.

Quais os maiores desafios da gestão de pessoas atualmente?

Lidar com pessoas não é uma tarefa simples. Os seres humanos são complicados, cheios de vontades e poréns, e o papel do RH é encontrar um equilíbrio entre as necessidades dos colaboradores e as da empresa. 

Diante desse embate, surgem desafios que devem ser enfrentados pela gestão de pessoas para garantir a produtividade dos colaboradores e, consequentemente, da organização. Confira abaixo alguns deles.

Criar estratégias de retenção eficientes

A retenção de profissionais nunca esteve tão complicada. Aqueles que estão chegando no mercado agora — a geração dos millennials — têm um perfil mais mutável e são mais exigentes. Não basta oferecer um bom salário ou um pacote mais interessante de benefícios para reter talentos como esses.

Um grande desafio do RH é encontrar formas de contratar as pessoas certas, com valores alinhados aos da organização e que estejam dispostas a entregar resultados. Como abordaremos a seguir, avaliar também as questões comportamentais no processo de admissão reduz as chances de que a empresa perca o profissional futuramente.

Definir um bom plano de cargos e salários

Outra dificuldade muito frequente é a de montar um consistente plano de cargos e salários. Isso acontece porque ele demanda a identificação de muitas variáveis, além da busca por uma equivalência com o mercado e de uma definição precisa dos parâmetros de cada posição. 

Apesar da complexidade do conteúdo, ele precisa utilizar uma linguagem clara e de fácil entendimento para os colaboradores, que vão utilizá-lo como base para seus próprios planos de carreira.

Manter os profissionais motivados

Como dissemos, a motivação é algo muito pessoal e que deve vir de dentro para fora — por isso ela é tão desafiadora para o RH. É preciso encontrar formas de proporcionar ambientes mais saudáveis, de entregar desafios mais interessantes e fazer com que cada talento sinta vontade de ser parte de tudo isso.

Como uma gestão de pessoas eficiente impacta toda a empresa?

As pessoas são a base de tudo em uma empresa. Por mais tecnológica e automatizada que ela seja, são as pessoas que fazem tudo acontecer. Sendo assim, qualquer melhoria ou problema relacionados à gestão de pessoas geram impactos em toda a organização. Trouxemos alguns pontos que ajudam a perceber isso melhor. Acompanhe!

Seleção de profissionais mais adequados

Um dos principais motivos que fazem as pessoas deixarem uma empresa poderia ser evitado ainda no processo seletivo. Profissionais com currículos excelentes podem não ser a melhor escolha para o momento da empresa. É preciso ter fit cultural entre as partes.

Como citamos acima, contratações que não levam as questões comportamentais em consideração acabam não se tornando duradouras. Os primeiros meses são mais eufóricos e tudo é novidade, mas a rotina vai mostrando quais são os valores da empresa e isso acaba pesando. O profissional deixa a organização e gera custos com sua demissão, bem como com o processo de seleção de um substituto. No mais, isso promoverá também falhas na continuidade das tarefas.

Melhoria no clima organizacional

Uma gestão de pessoas eficiente proporciona a melhoria do clima organizacional. Os profissionais que estão mais satisfeitos com seus cargos e salários, se sentem motivados e engajados com os propósitos da organização. Tudo isso gera um ambiente de trabalho mais positivo e agradável. 

Atuação do RH de forma estratégica para o negócio

Antes da expansão da tecnologia, o RH era um setor de suporte à empresa. Seu foco era cuidar da parte operacional da gestão de pessoas e garantir que tudo seguisse as definições da diretoria. Com o tempo, o RH vem se tornando cada vez mais estratégico e importante para o negócio.

As ferramentas disponíveis atualmente permitem que o setor tenha acesso a dados mais ricos e relevantes para a empresa. Eles são utilizados para determinar tendências, implementar cargos direcionados para as necessidades do negócio e auxiliar a definição dos caminhos que devem ser seguidos.

Aumento na produtividade e inovação

A junção de todos os fatores mencionados resulta no aumento da produtividade e inovação da empresa. A sensação de pertencimento e o clima organizacional agradável geram um ambiente mais saudável, que estimula a criatividade e a vontade de fazer as coisas com mais capricho, zelo e agilidade.

Além disso, os talentos se sentem instigados a propor melhorias, pensar em formas mais eficientes de realizar suas tarefas e criar novos produtos e serviços para oferecerem aos clientes. Com isso, a empresa se mantém em constante processo de inovação e tem mais chances de crescer e se destacar no mercado.

Qual o papel da liderança na gestão de pessoas?

As empresas do passado colocavam toda a responsabilidade da gestão de pessoas no RH, mas isso não é mais aceitável nos dias de hoje. Apesar de ainda ser algo que remete especificamente a esse setor, a gestão de pessoas também deve ser realizada por colaboradores de diferentes áreas da organização. 

O RH ainda é o responsável por determinar diretrizes e prestar toda a assessoria necessária, mas o acompanhamento cotidiano passou a ser papel do gestor. Os líderes precisam estar atentos aos seus times e deixar de focar apenas na parte técnica do trabalho. Isso porque, por estarem mais próximo de cada liderado, eles conseguem captar detalhes que mereçam atenção. 

É com o gestor que os colaboradores devem ter uma comunicação direta, expor seus problemas, dúvidas e questionamentos e receber feedbacks. Confira a seguir quais são os papéis mais importantes que os líderes precisam assumir no processo de gestão de pessoas.

Fortalecer a relação com seu time

O primeiro ponto é que o gestor deve estabelecer uma relação forte e de confiança com seu time. Seus liderados precisam confiar em suas decisões e sentir que houve uma preocupação com o todo. Sem isso, fica muito mais difícil obter o comprometimento dos colaboradores.

Criar um ambiente de diálogo mais aberto

A liderança precisa estar atenta à comunicação dentro de sua equipe. Os colaboradores devem ter liberdade para dar e receber feedbacks e serem instruídos sobre as estratégias do negócio. É muito importante que os gestores estejam dispostos a ouvir e a adotar uma postura acolhedora, criando um ambiente confortável para que a comunicação flua de forma natural e eficiente.

Entender e respeitar as características individuais

Cada pessoa tem suas especificidades que definem o seu perfil. Os gestores precisam entender essa questão e buscar alternativas que não exijam de seus liderados algo que eles não têm a capacidade de entregar. Em muito casos, basta uma pequena mudança de planos para as coisas se ajeitarem e todos se tornarem mais produtivos, cada qual à sua maneira.

Ser justo com seus liderados

O sentimento de justiça é uma necessidade do ser humano. Ela mostra que, mesmo que você seja contrariado em algum assunto, essa era a melhor decisão a ser tomada. 

No contexto organizacional, os líderes precisam estar próximos de suas equipes para analisar as questões conflituosas de forma mais ampla e isenta. As decisões devem ser pautadas por justificativas válidas e convincentes, sem mostrar preferência a um ou outro membro da equipe.

Estimular o crescimento dos profissionais

O crescimento pessoal e profissional dos colaboradores deve estar entre as prioridades dos gestores. Além de ser uma excelente forma de mantê-los motivados, a empresa tem muito a ganhar com quem busca aprimorar seus conhecimentos.

Mesmo que em seus planos de carreira, os funcionários solicitem uma mudança de área, esse é um caminho válido. Afinal, é melhor ter um colaborador feliz por muito tempo do que fazer com que se ele sinta insatisfeito e peça seu desligamento.

Como usar a tecnologia a favor da minha empresa?

Assim como tudo no mundo atual, a gestão de pessoas também implica no uso da tecnologia. A diferença em relação a períodos anteriores da história, é que agora o setor consegue posicionar a empresa de forma mais estratégica no mercado.

Além de possibilitar que as tomadas de decisões sejam devidamente fundamentadas, a tecnologia ajuda a entregar de benefícios mais atraentes para os colabores e otimiza o tempo que destinam ao trabalho. Isso se dá, fundamentalmente, por conta dos avanços que listamos a seguir.

Sistemas de gestão mais completos e robustos

Os sistemas de gestão de pessoas estão cada vez mais completos e robustos. Em um único lugar, os analistas conseguem gerenciar todos os pilares do RH de forma fácil, rápida e prática. 

Agora, tarefas mais operacionais e repetitivas são realizadas em poucos cliques. O controle de tudo isso é feito via software e aplicativos e todos saem ganhando. Com isso, pessoas capacitadas podem direcionar seu trabalho para atuação em atividades mais importantes, que demandam uma análise mais apurada. 

RH 4.0 e Big Data

O RH 4.0 segue a tendência da era da informação e utiliza automação e Big Data como suas principais bases. Ele faz com que o volume e a qualidade dos dados gerados alimentem um grande banco de dados onde inúmeras visões podem ser obtidas, compartilhadas e utilizadas pelos colaboradores em prol do negócio.

Assim, possibilita o alcance de dados que antes não eram possíveis, como a análise das informações de candidatos nas redes sociais. No mais, com base nos resultados gerados no Big Data, fica mais fácil compreender o perfil de cada funcionário e estabelecer pacotes de benefícios que fazem mais sentido para cada um deles. 

Como e por que manter os colaboradores motivados?

Entre os desafios que foram citados, um deles merece um destaque maior. Motivar sua equipe a ir mais longe não é uma tarefa fácil e pode demandar um certo tempo até que se concretize. Porém, algumas dicas são de grande ajuda e nós listamos elas logo abaixo.

Entenda o perfil de cada colaborador

O perfil comportamental de cada colaborador é distinto e precisa ser entendido para que possa ser criada uma convivência mais saudável. O embate entre pessoas muito diferentes pode se tornar algo produtivo quando é trabalho da forma certa. Em lugar de discutir uns contra os outros, o ideal é que os funcionários discutam juntos. Isso mostra respeito, aproxima e fortalece o grupo.

Ofereça um plano de benefícios adequado

Mais uma vez: a motivação é algo individual. Dito isso, não tem como esperar que todos os colaboradores se sintam satisfeitos diante dos mesmos benefícios. Um auxílio-creche não vale de nada para quem não tem filhos, assim como o vale-cultura pode não ser tão atrativo para determinadas pessoas. Entenda o que interessa a cada um e busque opções de benefícios que se adequem melhor às necessidades dos colaboradores.

Fortaleça a cultura de feedback

O feedback é o ponto de partida para o crescimento. Por meio dele, uma pessoa diz à outra algo que se destacou de forma positiva ou negativa. Quando o profissional sente que fez um excelente trabalho, mas seu líder não diz nada, pode causar frustração e afetar sua confiança em si mesmo. Da mesma forma, um líder que apenas critica tudo o que um profissional faz acaba desmotivando toda a equipe.

O diálogo aberto permite que cada um tenha uma consciência melhor sobre o que está fazendo de certo e onde precisa melhorar. Mantendo uma comunicação mais fluida, as críticas deixam de ser algo negativo e se tornam construtivas, direcionando oportunidades de crescimento.

Afinal, como se tornar um bom líder?

Ser um bom líder é algo que demanda muito esforço e atenção. É preciso entregar bons resultados para a empresa e ser bem quisto pelos liderados — algo que se conquista aos poucos, com paciência, dedicação e muito estudo.

Cada pessoa se desenvolve melhor de uma forma, mas existem atitudes que são essenciais a todos, como você poderá ver a seguir. 

Ouça com atenção

Talvez essa seja a maior dificuldade das pessoas no momento atual. Estamos cercados de muitos estímulos, vivendo rotinas corridas e estressantes, tentando sempre realizar mais de uma tarefa ao mesmo tempo. Como resultado, não conseguimos focar em nenhuma delas.

Uma dica simples: quando alguém de sua equipe falar com você, pare o que está fazendo. Provavelmente, levará apenas alguns minutos, mas fará uma diferença enorme na interpretação da informação que está recebendo e também na relação que você cria com seus liderados. Ouça-os com a atenção, tenha empatia e seja sincero em suas respostas. 

Preocupe-se com o bem-estar de todo o time

Existe um ditado que diz que “uma fruta podre, contamina todo o cesto”. Nas relações interpessoais isso acontece bastante. Sempre que um dos membros começa a se desmotivar, a tendência é que os demais sigam pelo mesmo caminho.

Um bom líder identifica questões como essa logo no princípio e busca soluções para eliminar o problema antes que ele se espalhe. Uma boa conversa já é o começo para entender o que se passa e encontrar alternativas que melhorem a sensação de bem-estar de toda a equipe.

Conte com a participação dos colaboradores em decisões

Um bom gestor conta com a participação de toda a equipe na resolução de problemas e na tomada de decisões importantes. Isso ajuda a aumentar a sensação de cada um está sendo importante para o grupo e mostra que existe espaço para que todos coloquem suas opiniões favoráveis e contrárias na mesa. 

Estimule o aprimoramento profissional

Um bom líder entende a importância de ter profissionais capacitados e atualizados em sua equipe. A força e a qualidade dela dependem disso. Por isso, é preciso que sempre incentive a participação dos colaboradores em eventos, cursos e palestras, bem como dê oportunidades para que cada um cresça profissionalmente na organização.

Fortaleça o Employer Branding

Outra estratégia muito eficaz que pode ajudá-lo a se tornar um bom líder é contar com o Employer Branding para melhorar o ambiente de trabalho. Essa nova tendência busca aprimorar a imagem da empresa como uma boa empregadora no mercado e ajuda a atrair os melhores talentos para os processos seletivos.

Para funcionar bem, os próprios colaboradores precisam mostrar o quanto gostam de atuar na empresa e quais os benefícios que os fazem se sentir assim. Os gestores podem estimular ações que envolvam o Employer Branding para se aproximar da equipe e tornar o cotidiano mais leve e agradável.

Depois de tantas dicas sobre gestão de pessoas, você já está pronto para enfrentar novos desafios à frente de sua equipe neste ano. Aplicando tudo o que aprendeu aqui, os resultados logo começarão a aparecer e você verá como é muito mais fácil liderar um time que está feliz e motivado. Comece agora mesmo e seja um líder melhor em 2019!

Se você gostou deste conteúdo e quer se aprofundar no assunto, confira neste outro artigo quais são as melhores práticas para a gestão de pessoas!