Entre os aspectos mais desmotivantes para os colaboradores de uma empresa está em não receber um retorno sobre o trabalho feito. Seja um comentário positivo, seja uma crítica construtiva, o funcionário anseia e necessita desse posicionamento do gestor para executar suas atividades. É aqui que entra, então, a importância do feedback.

Contudo, não pense que o feedback deve ser realizado de qualquer maneira, sem uma frequência desejada, sem planejamento e sem a adoção de boas práticas. Esse é um erro comum entre os gestores — que precisam enxergar o momento como uma oportunidade de desenvolvimento e melhorias, tanto para o colaborador quanto para a organização.

Neste conteúdo, reunimos algumas informações sobre a importância do feedback que têm tudo para auxiliar a sua empresa a incorporar a prática na cultura organizacional e usufruir de excelentes diferenciais competitivos! Vamos acompanhar?

O que é a cultura do feedback?

Antes de partirmos para a importância do feedback, é relevante falarmos sobre como a prática pode, e deve, fazer parte do cotidiano de qualquer empresa, se tornando um hábito ou, melhor ainda, cultura.

Não é segredo algum que, para prosperar, o negócio precisa contar com um time de colaboradores capacitados e empenhados a desenvolverem a solução ou o produto oferecido. Dessa forma, quando não há motivação por parte das equipes, a produtividade e os resultados corporativos tendem a ser comprometidos.

Como mencionado logo no início, o feedback tem relação direta com o engajamento dos funcionários. Sua ausência, portanto, é um dos fatores que mais contribui com o cenário insatisfatório descrito acima.

Lembre-se de que o feedback é um momento indispensável de comunicação entre gestores e funcionários. Essa ferramenta é peça-chave para que as equipes entendam se o trabalho está sendo feito de maneira correta, se é preciso focar em melhorias ou, ainda, se há algo que possa contribuir para o aperfeiçoamento do fluxo de tarefas.

Sendo assim, nada melhor do que trazer para o negócio a cultura do feedback, que é nada mais nada menos que o exercício de dar um retorno frequente para os colaboradores, criando um ambiente harmônico, propício ao desenvolvimento e sempre aberto ao diálogo. Mas, não se engane: a prática jamais deve ser feita apenas para “cumprir protocolo” — uma vez que ela vai muito além, trazendo melhorias como as que falaremos no próximo tópico.

Qual é a importância do feedback para a empresa e para os colaboradores?

Com a cultura do feedback, todos serão recompensados. O gestor criará um momento de diálogo com os times e, consequentemente, conquistará mais a confiança deles. Já os funcionários receberão o retorno que precisam para seguir, modificar ou aperfeiçoar o trabalho feito.

A empresa, finalmente, desfrutará de entregas de qualidade, mais produtividade, crescimento e, é claro, lucro. Para deixar tudo isso ainda mais claro, ilustraremos a importância do feedback para todas as partes em tópicos:

  • motivação: funcionários motivados vestem a camisa da empresa e produzem mais e melhor. Com o retorno vindo do feedback, eles se sentirão confiantes para exercerem suas funções com motivação e excelência;
  • colaboração: a cultura do feedback promove a criação de um ambiente colaborativo, onde todos ganham espaço para contribuir com novas ideias, dar sugestões ou até mesmo tirar dúvidas — algo que, sem o momento do feedback, deixa grande parte dos colaboradores insegura ou com pé atrás;
  • engajamento: a cultura do feedback proporciona um canal de diálogo entre gestor e funcionários. Os times serão ouvidos e, com isso, saberão que são peças fundamentais para o andamento da empresa. Isso está ligado a um maior engajamento com o trabalho;
  • comunicação: o feedback constante melhora a comunicação interna, dando menos espaço para fofocas, ruídos e desentendimentos no ambiente de trabalho. Como todos terão o seu momento para conversar abertamente, o número de conflitos diminui;
  • desenvolvimento: quando o colaborador recebe um feedback adequado, tem a oportunidade de aprender e crescer com ele. Isso contribui com seu desenvolvimento profissional e com a qualidade do trabalho que ele executa;
  • retenção de talentos: esse é um diferencial competitivo valioso para as empresas. Isso porque o funcionário, ao se sentir valorizado e reconhecido, dificilmente optará por se desligar dela — o que faz da cultura do feedback uma boa forma de reter talentos

Quais são os tipos e melhores práticas de feedback?

Agora que você já entende a importância do feedback, partiremos para os seus principais tipos e melhores formas de oferecê-los.

Positivo

O feedback positivo, composto por elogios e retornos do tipo, tem como objetivo reforçar uma atitude, comportamento ou forma de executar o trabalho que a empresa deseja que se torne um hábito. É uma ótima forma de impulsionar o colaborador a continuar realizando suas tarefas com motivação e maestria.

Negativo

Quando o colaborador adota uma postura indesejada ou não executa o trabalho da forma esperada, é comum que receba o feedback negativo. Trata-se de uma crítica construtiva que jamais deve ser composta por xingamentos, comparações com outros funcionários ou sermões não saudáveis.

Sanduíche

O feedback sanduíche é uma técnica que traz bons resultados. Na primeira etapa, são destacados pontos positivos do colaborador e de sua atuação. Na segunda, é hora de falar sobre aqueles aspectos que precisam ser melhorados. Para finalizar, o gestor deve pensar junto ao funcionário em formas de aperfeiçoar o que foi levantado anteriormente, trazendo, mais uma vez, comentários positivos.

Dicas para conduzir o feedback da melhor maneira

Não poderíamos deixar de lado as boas práticas que fortalecem o momento do feedback e permitem que ele cumpra com o seu objetivo, certo? Confira, a seguir, algumas dicas de ouro:

  • esteja preparado: como estamos falando do trato para com o próximo, todo cuidado com as palavras e ações é necessário. Sendo assim, é preciso planejar o momento antes de chamar o funcionário para a conversa. Já tenha em mente o que precisa ser dito e treine o tom, para não chatear ou confundir o receptor;
  • quebre o gelo: algo importante sobre o feedback é que ele não deve ser temido pelos funcionários ou visto como um momento no qual eles se sentarão e apenas ouvirão críticas. Pelo contrário: é essencial quebrar o gelo e algumas barreiras de formalidade. Comece perguntando sobre como o colaborador está e informe-o de que o que acontecerá é uma conversa, ou seja, que ele também poderá dar sua opinião;
  • dê preferência ao feedback sanduíche: esse tipo de feedback que abordamos anteriormente é o mais indicado. Ele inicia com um elogio, o que deixa o colaborador mais confiante para ouvir, posteriormente, possíveis críticas construtivas. Ao final, ambos pensarão juntos em formas de melhorias.

Compreendendo a importância do feedback e adotando-o como parte da cultura organizacional, sempre conduzindo o momento com base nas boas práticas, será possível perceber melhorias significativas a curto prazo — refletidas em bons resultados, em entregas de qualidade e no desenvolvimento dos colaboradores. Sendo assim, considere as informações do artigo e faça uso dessa ferramenta valiosa de gestão de pessoas.

Se gostou das informações do artigo, temos uma ótima notícia: ao assinar nossa newsletter, você receberá mais conteúdos valiosos como este diretamente em sua caixa de entrada. O que está esperando?