Ter um cargo em um papel de liderança não significa, necessariamente, que um profissional tenha habilidades para liderar.

Questionar como liderar pessoas, inclusive, é uma questão muito comum para diversos indivíduos que se encontram nesse papel e, muitas vezes, veem-se perdidos sob toda a complexidade que essa atuação exige.

Um bom líder precisa ser capaz de engajar, surpreender e conquistar a confiança e a admiração de sua equipe. Todavia, atualmente, é possível observar muitas desavenças entre o time e seu comandante.

Isso, além de ser prejudicial à imagem do líder, também é um problema para a obtenção de resultados e para o potencial competitivo da empresa.

Pensando na importância desse tema, neste artigo, apresentamos os erros mais frequentes dos gestores e as formas de solucionar essas falhas. Ficou curioso? Então, siga a leitura do post e confira!

Falta de comunicação adequada com a equipe

A boa comunicação é a chave da liderança eficiente. Podemos notar que, ao longo da história, os maiores conflitos foram gerados pela falha na comunicação. Seja por uma mensagem transmitida de forma incompleta, por um momento de rispidez que criou uma desavença ou pela falta de alinhamento nas informações.

Muitas vezes, isso acontece pela ausência de empatia e de escuta ativa, ou seja, o líder não escuta seus liderados ou não leva em conta suas ideias, resultando em geração de problemas.

Nesse sentido, é primordial que as decisões, por exemplo, sejam tomadas em conjunto, de forma democrática, explicitando que tudo o que for decidido é para o bem de todos e não para a comodidade do gestor ou de um membro específico.

Ausência de transparência

A falta de transparência é um dos erros mais graves que um líder pode cometer. Quando as informações não são transmitidas de forma clara, há o risco de cada um entender de um jeito e atuar da maneira como compreendeu, logo, isso resultará em problemas. É importante que o gestor se posicione com coerência e que não se confunda com o que for passado aos seus subordinados.

Outro ponto relevante é evitar omitir informações do time, a menos que seja extremamente necessário. Quando o líder deixa de cumprir com a verdade, acaba perdendo a confiança de sua equipe e gera falta de motivação, além de uma queda na produtividade e um malefício ao clima organizacional.

Por isso, para não falhar ao liderar pessoas, é indispensável ter compromisso com o que é proferido e atenção ao que não está sendo dito.

Comportar-se como um colega

Para liderar pessoas, é necessário ter consciência de que se está liderando pessoas. Explicamos: quando um indivíduo que era integrante da equipe é promovido ao papel de líder, um grande risco se torna evidente, o de comportar-se ainda como um colega. Sem dúvida, é importante ter uma relação de parceria com seus subordinados, todavia é preciso firmeza para que você consiga ser visto como um direcionador.

Quando começa a fazer concessões por afinidade, deixa de aplicar um feedback em decorrência da amizade ou passa a ter favoritos no time por conta das relações fora do ambiente corporativo.

Você perde todo o respeito dos seus subordinados, e isso passa a fazer com que eles tomem ações inconsequentes, sintam-se no direito de cobrar privilégios ou, até mesmo, tomem decisões sem o consultar.

Portanto, busque equilibrar suas relações. Deixe claro que, no ambiente de trabalho, você é o líder e não o colega, e suas atitudes serão pautadas no benefício mútuo e não em privilégios individuais.

Dessa forma, você obtém confiança e companheirismo de seu time, que terá a consciência de que todos são tratados da mesma maneira, independentemente do grau de relacionamento externo.

Focar apenas em resultados

Para saber como liderar pessoas, deve-se prestar atenção no fato de que são pessoas e não máquinas de obter resultados. Ou seja, focar apenas em resultados é um equívoco imenso e, infelizmente, comum entre os líderes. Ao chegar num patamar mais alto na corporação, é compreensível que as cobranças também se multipliquem, e isso pode fazer com que o gestor não veja nada além de suas metas.

Todavia, é indispensável ter tato para notar a capacidade de sua equipe, até onde cada membro pode chegar, como podem ser desenvolvidos e de que maneira são capazes de produzir mais de forma saudável e positiva.

Com isso, as probabilidades de obter mais resultados crescem. Mas tenha sempre em mente que o foco deve ser o bem-estar dos indivíduos envolvidos no processo, afinal, quando o colaborador fica sobrecarregado, ele acaba por fazer tudo de qualquer maneira, sem atenção e sem engajamento.

Não ter tato ao aplicar feedback

Aplicar feedback é uma arte que a maioria dos gestores não domina. O primeiro passo para um feedback bem dado é ter empatia, e novamente trago esse termo porque sem ele não há liderança de qualidade. Não há meios de aplicar um bom feedback sem antes se colocar no lugar do outro. Questione-se: como você se sentiria ao ter suas falhas colocadas em evidência? Gostaria que seus defeitos fossem expostos publicamente?

Após essa análise, busque aplicar feedbacks individuais, não exponha os membros de sua equipe e ouça o que aquele indivíduo tem a dizer.

Não raramente, erros são cometidos por falta de informação, logo, informe ao seu colaborador a maneira correta de realizar a tarefa. Seja compreensivo e foque na solução e não no problema.

Uma maneira bastante eficiente de aplicar o feedback é utilizando a técnica sanduíche. Em termos gerais, ela se baseia em exaltar um ponto positivo, alertar para os erros e buscar soluções, e finalizar reforçando a característica positiva do profissional. Isso mostra que você reconhece o valor daquela pessoa, porém está corrigindo um ponto específico que não exclui o talento dela.

Em vista disso, para aprender como liderar pessoas, podemos notar que é preciso ter empatia, firmeza e ética. Ao líder, também é indispensável desenvolver o autoconhecimento, na medida em que essa característica facilita no momento de ter sabedoria para lidar com a equipe.

Ter inteligência emocional é pré-requisito para atuar de forma produtiva e coerente no momento de direcionar um time. Por isso, busque aprimorar cada vez mais suas habilidades de trato individual e coletivo. Dessa forma, além de ser um bom gestor, você também mantém sua saúde mental.

Gostou do nosso artigo? Você já cometeu algum desses erros ou conhece algum líder assim? Quais são suas estratégias para gerir sua equipe? Deixe um comentário e divida suas experiências com a gente!