A competitividade do mercado tem exigido das empresas formas mais eficientes de gestão. Nesse cenário, o grande desafio do gestor é manter um sistema de gestão que forneça informações corretas, adequadas e que auxiliem na tomada de decisão.

Diante disso, as metodologias de gestão configuram-se como grandes aliadas no gerenciamento e otimização dos processos. São instrumentos que podem ser utilizados para conduzir importantes procedimentos.

Em síntese, essas metodologias são ferramentas sistematizadas que norteiam a idealização e a concretização de projetos. Elas são essenciais para assegurar mais qualidade e para facilitar o alcance dos resultados, tornando-se indispensáveis para o desempenho das empresas.

Por isso, listamos 5 metodologias de gestão que podem ajudar você a alcançar bons resultados, destacando suas principais características e como implementá-las em seu negócio. Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto!

1. PDCA

PDCA é uma metodologia de gestão utilizada para controle eficiente e melhoria contínua de processos, determinando ações e reduzindo os erros nas tomadas de decisão da empresa. Recebe esse nome, em inglês, pois refere-se às iniciais de cada uma das etapas que o constituem: Plan, Do, Check e Act (planejar, fazer, verificar, e agir). Saiba mais sobre cada uma delas a seguir.

P (Plan)

Essa é a fase de planejamento, em que as metas e os métodos de medição são definidos. Deve ser composto pelos seguintes passos: identificação de problemas; estabelecimento de metas; análise dos fenômenos e processos em curso; elaboração de um plano de ação.

D (Do)

Trata-se da execução do plano, por meio da capacitação de pessoas e da efetivação do plano traçado para a organização. Cada técnica é realizada conforme o que foi estabelecido na primeira fase.

C (Check)

É a etapa de verificação dos resultados em relação às metas previamente estabelecidas no planejamento, por meio de ferramentas próprias. É a fase em que são descobertas as falhas no processo.

A (Act)

Por fim, essa etapa consiste na padronização de procedimentos e na ação de acordo com os resultados obtidos, produzindo melhorias para a empresa. É necessário deixar bem claro o que será adotado ou alterado, comunicando à equipe, oferecendo treinamentos e aperfeiçoamento conforme necessário.

O ciclo PDCA origina novos processos a cada etapa realizada. Com isso, está constantemente sendo renovado e melhorado.

2. PRINCE 2

O Project in Controlled Environment, ou Projeto em Ambiente Controlado (PRINCE 2), em português, é um método que abrange aspectos de gerenciamento, controle e organização, fundamentado na experiência obtida de diversos projetos. Por ser genérico, é aplicável a qualquer projeto.

Essa ferramenta mantém o foco no produto e nas entregas durante a realização do projeto, e consiste na divisão em fases mais simples de controlar e gerenciar. O PRINCE 2 é baseado em alguns princípios:

  • controle e organização das etapas;

  • justificativa para o desenvolvimento do projeto;

  • pontos de decisão flexíveis;

  • divisão clara de papéis;

  • foco nos resultados;

  • canal de comunicação eficiente entre a equipe que desenvolve o projeto e os demais envolvidos.

O PRINCE2 oferece diversos benefícios, como melhores práticas e governança estabelecida, fornece uma linguagem eficaz, promove aprendizado e melhoria contínua, reduz o impacto de mudanças nas equipes, entre outros.

3. GPD

O método de Gerenciamento pelas Diretrizes (GPD) é usado para assegurar a credibilidade e a competência das ações no decorrer do desenvolvimento das metas. Ele garante que os indicadores utilizados durante a avaliação da implantação das estratégias e aqueles usados na verificação do desempenho dos processos estejam em concordância.

É estabelecido com base na análise do sistema e do ambiente e nos valores e missão da empresa, além do direcionamento da prática do controle de qualidade por todos os colaboradores da organização.

4. BSC

O Balanced Scorecard é um método de avaliação e gestão do desempenho de uma organização, por meio de indicadores quantitativos e válidos, que definem as metas e estratégias da empresa.

Essa técnica leva em consideração quatro aspectos importantes:

  • financeiros: produzir novos parâmetros de desempenho para potencializar os rendimentos dos investimentos;

  • processos internos: identificar os serviços ou produtos complexos e investir em inovação;

  • clientes: conhecer a satisfação dos clientes em relação à empresa;

  • crescimento organizacional: corresponde à motivação dos colaboradores e às melhorias da estrutura da empresa.

A partir do equilíbrio desses indicadores, são determinadas as relações de causa e efeito para avaliação das empresas. Desse modo, proporcionando a concepção de novas estratégias, o método ajuda a organização a alcançar melhor desempenho.

O BSC é considerado mais do que um sistema de medidas, traduzindo também a visão e a estratégia dos negócios em métricas e objetivos adequados em todos os níveis empresariais, garantindo o sucesso da companhia.

5. PMBOK

O Project Management Body of Knowledge (PMBOK) é um guia com as melhores práticas para gestão de projetos. Consiste em um processo de padronização que apresenta e identifica etapas, regras e áreas do conhecimento. Ele possibilita gerir de uma forma melhor os projetos da empresa e coordenar a execução com eficácia e excelência.

O PMBOK estabelece fluxos eficientes de informações e ações na organização, gerando produtividade, redução de custos e satisfação de profissionais e clientes.

Esse método é dividido em 5 processos:

  • Iniciação;

  • Planejamento;

  • Execução;

  • Controle;

  • Encerramento.

Por descrever de maneira abrangente todas as competências necessárias para uma gestão de projetos eficiente, o PMBOK tornou-se um padrão. A partir dessa padronização, são estabelecidas algumas áreas de conhecimento que devem ser notáveis no gerenciamento dos projetos. São elas: integração, escopo, tempo, qualidade, custos, aquisições, comunicações, recursos humanos, riscos e relacionamento com stakeholders.

Portanto, essas ferramentas são fundamentais para que a organização estruture seus objetivos e técnicas de uma forma melhor e consiga colocá-los em prática. Esses métodos possibilitam alcançar ações positivas, como desenvolver potenciais, capacitar equipes e gerar melhorias.

Vale ressaltar que para integrar as metodologias de gestão é necessário verificar as necessidades específicas de cada empresa. Elas podem ser aplicadas em conjunto, tendo um ou outro aspecto com mais destaque em cada procedimento.

Gostou do nosso post sobre as 5 metodologias de gestão? Então, compartilhe este texto nas redes sociais e ajude os seus amigos a dominarem o assunto também!