Melhorar a qualidade de vida dos funcionários é essencial para manter o desempenho de um negócio. Segundo estudo, empresas que investem no bem-estar dos colaboradores são, em média, 70% mais rentáveis e 86% mais produtivas.

Para alcançar esse objetivo, é preciso integrar boas práticas de RH, reforçando os canais de comunicação interna e criando uma carteira de benefícios complementares. Desse modo, a organização e seus colaboradores serão beneficiados, resultando em sucesso mútuo.

Reunimos neste post algumas coisas que precisa saber sobre o assunto e destacamos 7 práticas de RH para melhorar a qualidade de vida do funcionário. Confira!

1. Invista na liderança pelo exemplo

De nada adianta ter ótimas políticas de gestão de pessoas se quem ocupa cargos superiores não respeita seus colaboradores. Em razão disso, o recomendado é criar um modelo de liderança exemplar, no qual os próprios líderes sirvam de exemplo e entreguem resultados pessoalmente.

Tradicionalmente, a autoridade é baseada no comando e no controle. Por isso, frases como “manda quem pode, obedece quem tem juízo” ou “faça o que eu falo, não o que eu faço” fizeram sucesso no passado (em alguns negócios, ainda fazem).

Entretanto, é preciso evitar esse tipo de pensamento. Incentive todos, inclusive gestores, a abraçar os valores da empresa, respeitar horários, ouvir seus colaboradores e procurar ter boas relações no ambiente de trabalho. Quando as relações são saudáveis, a qualidade de vida de todos na empresa é melhor.

2. Reforce os canais de comunicação

O excesso de ruídos na comunicação é uma barreira ao bem-estar dos profissionais. Quando não há diálogo, o número de erros e retrabalho é muito maior, assim como os conflitos interpessoais. Por isso, é essencial investir na comunicação interna.

Em primeiro lugar, o gestor deve avaliar a qualidade dos canais de comunicação (isto é, meios que levam a mensagem até o receptor) que existem na empresa. Em seguida, definir o que pode ser melhorado e exatamente de que maneira.

O recomendado é integrar novos canais, como murais de recados online, aplicativos mobile e redes sociais corporativas. Também é preciso conscientizar todos da firma sobre a importância de se estabelecer uma comunicação franca e aberta.

3. Incentive a integração dos talentos

O processo de integração não deve ter foco apenas nos profissionais recém-contratados, mas em todo o time de trabalho. Os colaboradores devem estar mais próximos a cada dia, pois assim é possível incentivar o espírito de equipe e proporcionar maior bem-estar a todos.

Há muitas técnicas para aproximar as pessoas e construir verdadeiros times de trabalho. Promover atividades ao ar livre, por exemplo, pode ser um bom começo — em momentos de descontração, as pessoas se sentem mais à vontade para socializar e criar laços.

Existem ainda diversas outras possibilidades, como iniciar dinâmicas em grupo, gamificar processos tradicionais ou promover treinamentos colaborativos (nos quais os próprios funcionários criam e apresentam o conteúdo). Assim, é possível estimular a colaboração de todos nesse ambiente.

4. Ofereça oportunidades de carreira

É preciso valorizar quem já trabalha na empresa e, por isso, oferecer boas oportunidades de carreira é muito importante. Afinal, passar vários anos no mesmo cargo pode desestimular o funcionário, que sente necessidade de crescer e assumir novas responsabilidades.

Nesse caso, é indicado criar um plano de carreira. Esse plano deve mostrar quais possibilidades esses profissionais têm de crescer, quais resultados devem alcançar e quanto tempo de “casa” precisam ter. Assim, todos podem ter perspectivas em relação ao futuro na empresa.

Considerando que nem sempre há tantas oportunidades de crescimento, o mais recomendado é diferenciar o mesmo cargo em níveis — como Júnior, Pleno e Sênior. Isso permite que os talentos tenham uma visão de crescimento, além de gerar satisfação e entusiasmo.

5. Dê mais autonomia aos profissionais

Um dos problemas que reduzem a qualidade de vida dos funcionários é a microgestão. Quando um superior está sempre ditando ao subordinado o que fazer e como fazer, ele cria um problema grave e gera insatisfação.

Portanto, é preciso confiar nos colaboradores, dando liberdade para que planejem e executem suas próprias estratégias para atingir resultados.

Alguns negócios têm apostado, inclusive, no fim dos cargos de chefia, substituindo a estrutura hierárquica tradicional pelo modelo de holocracia, no qual todos os colaboradores têm o mesmo nível e trabalham por projetos.

6. Estimule a prática de exercícios físicos

Trabalhar em excesso causa exaustão e reduz a saúde do funcionário. Isso causa uma série de efeitos negativos à empresa e ao talento, como o aumento do absenteísmo, estresse ao limite e até acidentes ao longo do expediente de trabalho.

Praticar exercícios físicos pode ser uma ótima estratégia para mudar esse cenário, já que pessoas ativas são mais dispostas, felizes e, consequentemente, têm melhores resultados. Por sorte, existem muitas formas de incentivar exercícios físicos dentro e fora da empresa.

É possível criar, por exemplo, parcerias com academias, clubes de esporte e profissionais de educação física ou, ainda, estimular os empregados a praticar ginástica laboral ao longo de pequenos intervalos. Outra ideia legal é incentivar o uso da bike para chegar ao trabalho.

7. Integre benefícios complementares

Além do salário e da comissão, os benefícios são importantes para manter a satisfação no ambiente de trabalho. Com eles, é possível estimular os funcionários e, assim, conseguir melhores resultados. A dúvida é: quais escolher?

Há uma grande variedade de benefícios — alguns são financeiros e outros não. Em razão disso, é interessante idealizar e compor uma oferta equilibrada aos profissionais. Para alcançar esse equilíbrio, o gestor deve considerar o perfil do time, o orçamento e a cultura organizacional.

Alguns dos benefícios mais importantes são o vale-alimentação e o vale-refeição, pois somam comodidade, flexibilidade e segurança aos profissionais. Atualmente eles podem ser oferecidos por meio de cartões de benefícios, tornando o processo ainda melhor, pois é ágil e digital.

Como você pôde ver, há muitas maneiras de melhorar a qualidade de vida do funcionário. Investir na liderança pelo exemplo, estimular a prática de exercícios físicos e integrar novos benefícios são bons exemplos. Resta agora avaliar os que melhor se adaptam à sua equipe de trabalho e, então, aplicá-los.

Gostou do post? Aproveite e compartilhe nas redes sociais para manter seus amigos por dentro do assunto!