A contabilidade é uma importante aliada na gestão das empresas e um recurso essencial na estratégia do negócio. Por meio dela, a empresa passa a conhecer os ativos, as despesas, as receitas, a rentabilidade e os lucros, sendo capaz, assim, de realizar um bom planejamento tributário.

Nesse contexto, o relatório contábil configura-se como uma possibilidade de auxiliar na comunicação. Além de ser uma exigência legal, esse documento tem por objetivo fornecer embasamento para a tomada de decisões, evitando a alocação de recursos de maneira errônea, e impacta diretamente os resultados do seu negócio.

Devido à importância desse recurso para a gestão da empresa, apresentaremos, neste artigo, os benefícios trazidos pela análise dos relatórios contábeis, destacando formas de elaborá-los. Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto!

O que são os relatórios contábeis?

Trata-se de documentos que descrevem, com dados técnicos, todas as informações reunidas pelos setores de contabilidade das empresas. Devem ser incluídos nesses registros todos os valores de despesas, custos e impostos devidos ou pagos.

Esses documentos ajudam a simplificar a visualização de todas as movimentações financeiras e das previsões em curto e longo prazo, auxiliando o gestor e os demais envolvidos em sua análise.

Os relatórios são realizados mensalmente, trimestralmente ou anualmente — a frequência varia de acordo com as normas determinadas pelas companhias. O ideal é que eles apresentem informações de maneira detalhada, completa, bem organizada e compreensível, contando com dados relevantes e influentes.

Qual a importância de acompanhar os relatórios para uma gestão mais eficiente?

Os relatórios contábeis são essenciais para avaliar a saúde financeira da empresa. Afinal, são eles que resumem todas as informações de uma forma organizada e confiável, garantindo uma boa contabilidade.

Criação de estratégias eficientes, melhores decisões, indicadores eficazes, maior controle financeiro e acesso facilitado ao crédito são algumas das principais vantagens que os relatórios contábeis proporcionam a um empreendimento.

Para uma gestão eficiente, é necessário que o relatório seja organizado de modo que todos consigam entender a realidade econômica e financeira da empresa. Por isso, devem ser detalhados, com informações precisas e confiáveis para uma visão ampla.

Além disso, a concentração de dados e números dos relatórios contábeis é de grande utilidade para que o gestor saiba onde aplicar os recursos disponíveis.

É evidente, portanto, a importância desses relatórios. Afinal, eles são imprescindíveis para uma administração adequada e eficaz. Quanto mais dados disponíveis aos gestores, maiores as chances de decisões acertadas e que tragam vantagens reais às organizações.

Quais são os principais relatórios que uma empresa deve acompanhar?

Existem dois tipos de relatórios contábeis: os obrigatórios e os não obrigatórios. Ambos descrevem as operações passadas, possibilitando aos gestores o fácil acesso à previsão de despesas e receitas de períodos futuros. Confira, a seguir, as características de cada um.

Relatórios obrigatórios

Também conhecidos como demonstrações financeiras, os relatórios obrigatórios são aqueles exigidos por lei. Eles são divididos nas seguintes categorias:

  • Balanço Patrimonial (BP): o documento é o demonstrativo do estado em que a empresa se encontra e engloba o ativo e o passivo da escrituração contábil;

  • Demonstração do Resultado do Exercício (DRE): apresenta o resultado em lucro ou prejuízo alcançado pelo negócio em determinada época, levando em consideração apenas as movimentações em despesas, receitas e resultado anterior;

  • Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA): determina todos os detalhes e variáveis do saldo inicial e final da empresa;

  • Demonstração das Origens e Aplicações de Recurso (DOAR): indica modificações na posição financeira da organização.

Relatórios não obrigatórios

Os não obrigatórios são aqueles que não são exigidos por lei. Todavia, são extremamente importantes para as tomadas de decisão dos empresários, pois seus dados podem definir investimentos importantes, entre outras funções. São eles:

  • Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC): trata-se de uma ferramenta gerencial e de controle das finanças que registra as ocorrências de suas contas — é obrigatório apenas para empresas de capital aberto e negócios com patrimônio líquido de R$2 milhões ou mais;

  • Demonstrativo do Valor Adicionado (DVA): indica os valores referentes à formação e à distribuição da riqueza gerada pela empresa.

A partir da análise e interpretação desses relatórios, é possível escolher as melhores estratégias e optar por soluções que atendam as necessidades da empresa.

Como elaborar um relatório contábil útil e eficaz?

Em primeiro plano, a elaboração de um relatório contábil exige conhecimento específico e uma visão diferenciada sobre as questões econômicas do negócio.

O método utilizado para estruturar um relatório é por meio de cálculos ordenados, tendo como seu principal foco sintetizar as contas de sua empresa. Para organizar esse documento de forma mais eficiente, são necessários os seguintes passos:

  • elaborar um bom plano de contas;

  • provisionar todos os valores;

  • trabalhar junto ao seu cliente;

  • utilizar um centro de custo.

Ao segmentar os serviços, o relatório contará com informações detalhadas para uso na tomada de decisões por parte do gestor, já que a partir dele é possível extrair três informações básicas: ponto de equilíbrio, margem operacional e lucratividade.

Vale ressaltar que os relatórios contábeis devem ser elaborados por profissionais da contabilidade com experiência na área. Por se tratar da área financeira, esses documentos são extremamente importantes e qualquer erro na coleta ou na interpretação dos dados pode resultar em prejuízos para a empresa.

Nesse contexto, os softwares de gestão financeira são ferramentas fundamentais para quem deseja realizar essa análise de forma efetiva e prática. Com o uso deles, é possível obter informações de todas as contas a pagar e receber.

Por fim, o relatório contábil destaca-se como uma das mais importantes práticas do planejamento contábil, já que uma das principais causas que levam um negócio à falência é a realização inadequada desses procedimentos.

Além disso, essa ferramenta deve funcionar remotamente para aumentar a flexibilidade na rotina de trabalho dos administradores, ser de fácil utilização e estar integrada aos demais setores para importação de dados.

Agora que você já sabe como os relatórios contábeis podem ajudar na gestão da empresa, que tal tirar todas as suas dúvidas sobre contabilidade para pequenas empresas? Leia agora mesmo o nosso artigo e saiba mais sobre o assunto. Vamos lá!