A satisfação profissional é um tema que está bastante difundido na atualidade. Com o mercado cada vez mais competitivo e com o novo perfil de profissionais, torna-se praticamente impossível ignorar o fato de que, se as equipes não estiverem engajadas e contentes, os resultados não serão favoráveis.

Porém, mesmo com todo o enfoque sobre esse tema, muitos gestores ainda têm dúvidas sobre como devem proceder para diagnosticar o grau de satisfação dos empregados e de que forma devem agir para conquistar equipes de alta performance, com foco em resultados e com motivação para crescer em conjunto com o negócio.

Pensando na importância desse assunto, vamos expor neste artigo os impactos negativos que são gerados pela insatisfação dos funcionários e as formas de medir e gerar essa satisfação no dia a dia corporativo, fazendo com que empregado e empregador tenham uma relação de confiança e parceria.

Se você quer melhores resultados em sua empresa e sabe que funcionários satisfeitos são um fator chave para o sucesso, continue a leitura deste post.

Como a satisfação profissional afeta os resultados corporativos?

O modo como o colaborador se apresenta no ambiente corporativo conta muito para medir a qualidade ou a falta de qualidade que será apresentada em sua tarefa. Logo, quando um profissional está insatisfeito ocorre queda na produtividade, os erros aumentam, o índice de absenteísmo e rotatividade sobem e conflitos entre setores e equipes começam a ser constantes.

Logo, os resultados da organização começam a despencar, tornando-a menos competitiva no mercado de trabalho e mais propensa a padecer em crises. Por isso, é tão importante investir em endomarketing, desenvolver uma boa comunicação empresarial e trabalhar para que o público interno se sinta engajado e feliz com o trabalho que está executando.

Quando a corporação consegue deixar claro ao funcionário que o sucesso de um é também o sucesso do outro, cria-se uma relação de parceria em que a melhoria contínua é o comprometimento. Ao conquistar equipes motivadas e de alta performance, todos os problemas citados acima são minimizados e fica mais simples lidar com a instabilidade do mercado e os desafios que surgem no cotidiano.

Como o gestor pode medir a satisfação dos colaboradores?

A maneira mais assertiva de medir a satisfação dos colaboradores é realizando uma pesquisa de clima organizacional. Dessa forma, é possível observar como os profissionais estão se sentindo em relação inúmeros aspectos da empresa e, a partir desses resultados, tomar ações para que os fatores que estão incomodando deixem de incomodar.

Todavia, antes de realizar uma pesquisa de clima organizacional, é imprescindível que seja feito um planejamento realista, de modo a ter como objetivo solucionar os desafios que forem apontados. Logo, se a corporação não tiver recursos financeiros ou disponibilidade, de modo geral, para operar as possíveis mudanças que serão necessárias, é melhor que a pesquisa seja adiada.

Isso se explica pelo fato de que, quando o colaborador expressa sua opinião e não recebe um feedback, sente que o processo foi inútil e que a entidade não o valoriza e nem leva em conta suas questões. Por isso, é importante o comprometimento de buscar, pelo menos, justificar algo que não puder ser alterado após a pesquisa.

Contudo, caso não seja viável realizar esse processo. O gestor pode observar o que tem sido pauta de assunto dos colaboradores, se estão ocorrendo conflitos constantes, se o índice de absenteísmo está alto, se a rotatividade aumentou e se a produtividade está baixa. Esses fatores também são apontamentos importantes de que a satisfação profissional não está favorável.

Como o gestor pode gerar a satisfação dos colaboradores?

Para gerar a satisfação profissional na corporação, os gestores precisam se atentar em 4 aspectos que são fundamentais para que o colaborador se sinta bem no ambiente de trabalho. Veja eles quais são:

1. Aplicação de desenvolvimento profissional dentro da empresa

Crie um plano de carreira e deixe claro ao colaborador aonde ele pode chegar e o que ele deve fazer para conseguir sua evolução na organização. Dessa forma, o funcionário vai se sentir valorizado e engajado em se mostrar cada vez melhor para conseguir sua ascensão na empresa.

2. Investir em qualidade de vida

Muitos profissionais passam a maior parte de seus dias dentro do ambiente corporativo. Logo, se houver apenas cobranças e burocracias, é muito provável que o indivíduo se senta desmotivado. Por isso, vale a pena que o gestor conheça a realidade de seu time e atue de modo a criar atividades que vão além das rotinas de trabalho e possam gerar satisfação, interação e diminuição da formalidade.

3. Remuneração e benefícios

Esse é um aspecto decisivo na satisfação do colaborador. Quando a empresa investe em oferecer benefícios que vão além dos estipulados por lei, ela conquista a admiração do público interno. Para isso, é ideal que a corporação faça parcerias com universidades, academias, lojas e outros estabelecimentos que podem ser interessantes para os funcionários.

Além disso, para aprimorar o fornecimento de benefícios, é recomendável que a entidade contrate uma empresa que ofereça cartões que são aceitos nos principais estabelecimentos. Afinal, ao utilizar cartões para fornecer os benefícios, tanto a empresa quanto o colaborador têm mais segurança e praticidade.

4. Estabilidade profissional

Quando os profissionais notam que a rotatividade da empresa é alta e que não se investe em treinamento e desenvolvimento, ou em processos mais assertivos de recrutamento e seleção, é gerada uma grande insegurança e insatisfação. Por isso, é ideal que a corporação tenha uma descrição de cargos realista e alinhada à sua cultura organizacional.

Como vimos, garantir a satisfação profissional é fato primordial para assegurar que a corporação terá bons resultados. Por isso, contratar empresas como a VR Benefícios, por exemplo, e fazer parcerias com estabelecimentos de interesse dos funcionários é uma excelente estratégia para agradar o público interno e ter segurança quanto à qualidade do fornecimento de benefícios.

Após entender os fundamentos da satisfação profissional na sua empresa, que tal contar com a experiência de quem tem mais de 40 anos de dedicação à satisfação dos trabalhadores? Entre em contato conosco e aproveite essa oportunidade!