Você já reparou como, cada vez mais, os departamentos de RH têm adotado processos digitais (seja parcial ou totalmente) de seleção e recrutamento para avaliação e admissão de novos profissionais?

Isso faz parte de uma tendência de modernização dentro do setor, que busca diminuir despesas, reduzir esforços internos, automatizar etapas seletivas com o uso de novas tecnologias, otimizar o tempo e, é claro, encontrar colaboradores que possam contribuir verdadeiramente para o crescimento e a competitividade da organização.

Será que sua empresa também está pronta para adotar essa estratégia? A VR Benefícios quer ajudá-lo e para isso selecionamos algumas das melhores práticas para seleção e recrutamento digital. Acompanhe!

Aposte nas plataformas online para anunciar suas vagas

A primeira delas é apostar nas plataformas online para fazer a divulgação dos processos seletivos da sua companhia e, em especial, a captação de currículos.

Essa é uma forma simples de reduzir custos com anúncios de vagas em mídias tradicionais, evitar o alto fluxo de pessoas que se deslocam até o endereço do RH e intensificar a atração de candidatos mais capacitados e preparados para compor o quadro de funcionários (por meio de ações de marketing digital e marketing de conteúdo, por exemplo).

Isso sem falar que o setor de recursos humanos pode recorrer a diversos meios para publicizar os cargos em aberto, desde as páginas institucionais e os sites de recrutamento até as redes sociais, como o Facebook e o LinkedIn.

Utilize as redes sociais para coletar dados sobre os candidatos

Além de servirem para a divulgação das vagas da sua empresa, as redes sociais também podem ser úteis para coletar dados e, em especial, monitorar o comportamento dos seus candidatos na internet.

Afinal, assim como as marcas são constantemente avaliadas pela conduta que assumem virtualmente, os funcionários também estão sujeitos a terem seus perfis e suas páginas públicas online checadas e até mesmo investigadas. E as razões para isso são as mais diversas, como:

  • comprovar experiências de trabalho e dados pessoais que podem ser omitidos ou mesmo modificados no currículo (ou em uma eventual entrevista ao vivo);

  • averiguar se os concorrentes fazem distinção entre as mídias, separando-as, por exemplo, entre aquelas de cunho pessoal (como Twitter e Snapchat) e profissional (como o LinkedIn e Behance);

  • apurar se os candidatos investem no networking online e na divulgação de portfólio, parcerias, projetos de autoria própria etc.

  • sondar se premiações, conquistas acadêmicas e participações em congressos, cursos, eventos e afins, de fato procedem.

  • acompanhar a postura de cada indivíduo e identificar quando eles se envolvem em polêmicas, assuntos controversos ou mesmo situações ilegais que podem reverberar para a companhia e causar crises de imagem para a instituição.

Invista em ferramentas virtuais que simulam testes e dinâmicas de grupo

Outra alternativa para otimizar seleção e recrutamento digital é investir em ferramentas virtuais capazes de simular os testes e as dinâmicas de grupo que, tradicionalmente, são feitos ao vivo com os recrutadores.

Assim, é possível avaliar as habilidades e as competências de quem se candidatou a cargos que exijam um nível mais alto de conhecimento, por exemplo, em cálculos matemáticos, legislação, TI, gramática e ortografia ou línguas estrangeiras. Além disso, é possível averiguar se os concorrentes têm o perfil psicológico para se adaptar à cultura da empresa, atuar em equipe e lidar com as funções da rotina de trabalho.

Essa pode ser uma boa solução não apenas para poupar o tempo do RH — já que podem ser aplicados logo após a submissão do currículo —, mas facilitar a execução de ambas as etapas, especialmente quando o departamento conta com poucos colaboradores.

Afinal de contas, elas requerem um planejamento detalhado de atividades e provas, uma logística de aplicação em tempo real, reserva ou mesmo locação de espaço para a recepção de todos os profissionais e a mobilização de vários funcionários do setor para acompanhar e orientar os candidatos em caso de dúvidas e afins.

Conte com um software de gestão para ajudá-lo com a seleção e o recrutamento

Uma última prática importante para a seleção e recrutamento digital é contar com um software de gestão de recursos humanos, que terá papel primordial para a realização de ambas as etapas. Ficou em dúvida como isso é possível? Calma, nós explicamos!

Durante o processo seletivo e suas respectivas fases (análise de currículos, testes de desempenho, entrevistas etc.), muitos candidatos acabam não chegando ao final do funil e sendo chamados para integrar o quadro de colaboradores da organização.

Isso pode acontecer por vários fatores, como a abertura de somente uma única vaga ou pelo fato de determinados profissionais não atenderem, naquele momento, a algum critério da empresa. Por isso, é indispensável dispor de um software de gestão, que servirá para:

  • compor um cadastro reserva com aquelas pessoas que ficaram com o status de “classificáveis” para ocupar o cargo, em caso de desistência ou avaliação negativa após o período de experiência; e

  • formar um banco de dados com o currículo, dados pessoais e a descrição analítica do comportamento de todos os candidatos que participaram de seleções anteriores e não foram aprovados.

Ou seja, quando surgirem novas oportunidades dentro da instituição, o RH pode acelerar (e muito) a admissão de novos nomes, pois bastará aos recrutadores recorrem ao programa e pesquisar, de maneira automatizada no sistema, quem se encaixa no perfil buscado. A partir daí, será necessário apenas marcar uma entrevista e, junto com o indivíduo, analisar a possibilidade da contratação ser efetivada.

Agora que você já está por dentro de como fazer seleção e recrutamento digital, não deixe de seguir nossas sugestões e otimizar as duas etapas. Porém, não se esqueça: mesmo que todas as alternativas citadas ao longo deste post sejam bastante úteis, é preciso, sim, destinar, pelo menos, um momento de interação pessoal e humanizada com os candidatos.

Afinal, as ferramentas tecnológicas nem sempre são capazes de precisar aspectos mais abstratos de suas respostas, especialmente aquelas que envolvem questões sobre ficar longe da família, mudar de cidade/estado para ocupar um cargo e por aí vai.

Após entender mais sobre seleção e recrutamento digital, continue se atualizando sobre as melhores práticas de gestão de pessoas. Confira como utilizar da melhor forma o LinkedIn no RH!