Não há dúvida alguma sobre o papel de uma dieta equilibrada quanto ao bem-estar e à saúde do corpo humano. Quando nos alimentamos bem, temos mais energia e foco para realizarmos nossas atividades diárias com eficiência. As organizações já se atentaram para essa questão, oferecendo aos seus colaboradores benefícios que visam a promoção da alimentação saudável. Contudo, uma dúvida bastante comum aqui é: vale refeição ou vale alimentação? Qual é a melhor escolha?

É justamente sobre isso que falaremos neste artigo. A seguir, você vai entender exatamente o que é e como funciona cada um desses benefícios para, no final, conhecer qual opção é a mais vantajosa tanto para as empresas, quanto para os seus funcionários. Continue conosco e boa leitura!

O vale alimentação

O vale alimentação surgiu como um substituto prático e eficiente para as cestas básicas, bastante comuns entre as empresas durante as décadas de 80 e 90.

Se antigamente era necessário arcar com os custos e demandas de todos os processos envolvendo a aquisição e distribuição das cestas, hoje basta entregar ao funcionário um cartão magnético.

O cartão vale alimentação é, em suma, um benefício destinado para as compras de gênero alimentício em supermercados, hipermercados e demais estabelecimentos semelhantes cadastrados pela operadora do cartão.

Na prática, ele pode ser utilizado pelo colaborador para realizar as compras do mês de sua casa, por exemplo, adquirindo os alimentos a serem consumidos tanto por ele quanto pela sua família durante aquele período. Dessa forma, todos poderão usufruir de uma alimentação saudável e completa.

Mas é preciso ressaltar que o benefício se restringe à compra de alimentos, uma vez que o seu objetivo é justamente contribuir com o acesso à alimentação de qualidade. Com o cartão, o trabalhador consegue comprar itens como:

  • itens de mercearia;

  • itens de padaria;

  • hortifrúti;

  • laticínios;

  • carnes;

  • congelados;

  • bebidas não-alcoólicas.

Quais são os benefícios do vale alimentação?

Várias companhias prestadoras de serviço oferecem esse tipo de benefício. Optando pelo vale alimentação, a empresa que adquire os serviços e o colaborador beneficiado obtêm as seguintes vantagens:

  • colaboradores satisfeitos e motivados;

  • economia com impostos e custos referentes à logística;

  • praticidade para o colaborador, que terá também liberdade para escolher os itens que deseja;

  • ampla aceitação nacional (+300 mil estabelecimentos credenciados);

  • controle 100% online.

O vale refeição

Apesar de ter o mesmo propósito que o vale alimentação (ou seja, a promoção à alimentação de qualidade ao trabalhador), o vale refeição permite que os colaboradores façam suas refeições diárias — almoços, lanches e jantares — em restaurantes, lanchonetes, padarias e demais estabelecimentos conveniados do tipo, tudo isso com comodidade e bastante praticidade.

Dessa forma, o funcionário tem o conforto de se alimentar em estabelecimentos de qualidade (inclusive próximos à empresa onde trabalha) sem precisar se preocupar com pagamentos em dinheiro.

Cabe ao beneficiado, contudo, saber fazer o bom uso do benefício, de modo com que ele cumpra seu objetivo de durar um mês inteiro. Para isso, ele deve fazer um cálculo bastante simples e estabelecer uma média de gastos.

Vamos citar um exemplo: aqueles que recebem R$ 400 de vale refeição e trabalham 20 dias no mês devem gastar até R$ 20 por dia. Fácil, não?

Quais são os benefícios do vale refeição?

Com o vale refeição, tanto o colaborador beneficiado quanto a empresa contam com as seguintes vantagens:

  • aumento da produtividade e da motivação do colaborador;

  • praticidade, já que o cartão tem controle 100% online;

  • liberdade de escolha quanto à alimentação;

  • informação do saldo a cada compra realizada;

  • recarga com pontualidade.

A preocupação com o bem-estar do trabalhador

A preocupação com a saúde e com o bem-estar do colaborador por parte das empresas nunca esteve tão em alta quanto ultimamente. Isso porque despertou-se em grande parte das organizações a consciência de que, quando saudável, motivado e feliz, o trabalhador produz mais e melhor, gerando sempre resultados positivos.

É justamente nesse contexto que entra a importância da alimentação saudável. Uma dieta equilibrada não só ajuda no controle do peso e na diminuição do risco de doenças (o que por si só já é um grande benefício), como também melhora o rendimento, a concentração e a capacidade de resolver problemas.

Quando bem alimentado, o funcionário tende também a evitar faltas e atrasos, já que se sente satisfeito com a empresa e a enxerga como um lugar atraente para se trabalhar. Essa é uma grande motivação para que ele vista a camisa da organização e dê sempre o melhor de si.

Agora, você provavelmente deve estar se perguntando sobre qual tipo de benefício oferecer para obter todas essas vantagens: vale alimentação ou vale refeição? Falaremos sobre isso no item seguinte.

Vale refeição em conjunto com vale alimentação

Se você pensava que a resposta aqui era uma só, vai se surpreender com o que vamos apresentar. A empresa que cuida e quer garantir o bem-estar dos colaboradores não precisa escolher um em detrimento do outro. Pelo contrário, quando oferecidos juntos, podem potencializar ainda mais todas as vantagens que apresentamos até aqui.

Lembre-se de que nem sempre seguir o que é dito por convenções sindicais é o melhor caminho, tanto para a organização em si, quanto para os seus colaboradores. Em suma: pode-se atender ao que foi acordado entre sindicatos e empregadores, mas entregando também aquele algo a mais que fará toda a diferença na satisfação dos funcionários.

Além disso, há também toda uma racionalidade econômica nessa escolha. Por meio do Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT), do governo federal, são concedidos incentivos fiscais às empresas que fornecem benefícios como os mencionados. Se inscrevendo no PAT, elas conseguem deduzir até 4% do valor do imposto de renda.

Além disso fornecer vale alimentação e vale refeição como benefício tem caráter indenizatório, ou seja, o valor destinado para o custo das refeições não sofre tributações fiscais nem interfere no recolhimento do FGTS ou no cálculo das verbas rescisórias.

Este artigo visou auxiliar as empresas que ainda tinham dúvidas sobre ofertar vale refeição ou vale alimentação. Optando por ambos os benefícios, em vez de escolher um em detrimento do outro, as vantagens podem ser ainda maiores, tanto para as empresas quanto para os colaboradores.

Se você ainda não oferece benefícios como esses para seus colaboradores, chegou a hora de repensar essa atitude. Acesse agora mesmo o nosso site e faça uma simulação de ambos os benefícios.