A metodologia OKR (Objectives and Key Results) foi criada por Andy Grove, na Intel, em 1970. Isso ocorreu durante a grande reformulação da empresa, quando deixou de ser uma fabricante de dispositivos de memória e passou a fabricar microprocessadores.

Porém, sua aplicação mais famosa é nos processos da Google, onde foi implementada quando a empresa tinha 40 funcionários — o framework é considerado um dos grandes responsáveis pelo patamar atual de mais de 60 mil colaboradores. A metodologia também é utilizada em outras empresas do vale do silício, como Airbnb, Linkedin e Spotify.

A OKR tem como foco auxiliar uma organização a atingir os seus objetivos e crescer rapidamente para alcançar os melhores resultados possíveis. Para isso, há algumas regras e conceitos que devem ser seguidos por todos os envolvidos na empresa, desde o CEO até os estagiários.

No artigo de hoje, vamos abordar os principais conceitos da metodologia OKR e como trabalhar com os objetivos e resultado-chave. Acompanhe para entender!

Sobre o framework OKR

O principal pilar da metodologia de objetivos e resultados-chave é listar o que será feito em uma empresa e como serão mensurados os resultados obtidos — para saber se estão de acordo com o esperado. É comum que o seguinte modelo de definição de metas seja seguido:

Eu vou ___________medido por_________.

O “Eu vou” representa o objetivo estabelecido, e “Medido por” são os resultados-chave. É uma boa prática que os resultados sejam mensurados quantitativamente, ou seja, através de números. 

Por exemplo: uma empresa tem como objetivo encantar um cliente com o seu produto ou serviço, e ela resolve metrificar isso através de NPS (Net Promoter Score). Nesse caso, o OKR ficaria da seguinte maneira: eu vou causar uma excelente experiência ao cliente, medido por NPS igual ou maior a 9.

Fazendo o OKR parte da cultura organizacional

Se uma empresa deseja trabalhar com OKR, é importante ter claro que a metodologia só funciona se estiver enraizada na cultura organizacional e se houver real interesse de todos em estabelecer metas focadas em resultados.

Mesmo que sua empresa seja pequena, é possível realizar essa implementação. Inclusive, ao começar desde cedo, fica mais fácil aplicar e executar a metodologia quando o time de colaboradores aumentar.

É natural que haja demora e um tempo de maturação para que o framework OKR seja completamente implementado. Esse processo costuma-se denominar resistência à mudança.

Simplicidade e capacidade de mensuração do OKR

Como o próprio nome já diz, os OKR devem ser objetivos (objective) e simples. Além disso, a mensuração de sua efetividade deve ser fácil para todos os envolvidos no processo. Veja algumas boas práticas para trabalhar a metodologia:

  • os objetivos devem conter números para que possam ser mensurados;

  • o período de definição de objetivos deve ser trimestral;

  • cada colaborador deve ter, no máximo, 5 objetivos macro, com 4 resultados para cada;

  • 60% dos objetivos devem ser delimitados pela própria pessoa que vai cumpri-los, ou seja, o operacional;

  • os objetivos devem ser simples e fáceis de memorizar. Se você precisa respirar enquanto lê, provavelmente está errando nos padrões da metodologia.

Objetivos top-down x bottom-up

Quando falamos sobre definição de metas tradicional, é muito comum citarmos apenas a definição por parte da diretoria e gestores, em que não há a participação dos funcionários que, na prática, serão responsáveis por executar as tarefas.

No OKR, apenas 40% dos objetivos gerais são definidos pelos diretores, enquanto o restante é definido pelos demais colaboradores. Por exemplo, o CEO da empresa define que é necessário um crescimento de X% no faturamento em 3 meses de operação — este é o objetivo top-down. Porém, os colaboradores da empresa é que vão definir como esse crescimento será efetivado através das ações de cada área — este é o objetivo bottom-up.

Transparência no OKR

A eficácia da utilização dos OKR está diretamente ligada ao quanto eles são transparentes e acessíveis aos colaboradores da empresa. A necessidade de cumprir objetivos faz com que os OKRs sejam uma tarefa comum a todos. O uso de plataformas de gestão de metas ou de uma intranet da organização é um caminho tecnológico que facilita o acesso e interação entre os envolvidos.

Com tudo bem definido, os objetivos das áreas estarão apontados para a mesma direção. Isso gera o sentimento de que o caminho a ser percorrido é comum a todos e está em andamento, tornando a empresa um grande time.

Erros comuns na implementação do OKR

Confira abaixo os principais erros cometidos na implementação da metodologia OKR e saiba como evitá-los:

Usar como uma lista de tarefas

O framework OKR foi criado para entregar valor à empresa, e não trabalho. É importante saber diferenciar os dois tipos de objetivos. Por exemplo: entregar a versão beta do produto é uma meta de entrega de trabalho e, portanto, não se encaixa no OKR. Por outro lado, uma meta para manter o custo de aquisição de cliente abaixo de X reais pode estar atrelada a um valor que é compatível com a metodologia.

Definir e esquecer

Os OKRs definidos não podem funcionar como promessas de ano novo, que são feitas e esquecidas. Para a metodologia funcionar, é necessário o acompanhamento regular dos resultados. O mais comum é que isso seja feito em reuniões semanais rápidas, chamadas de check-ins. Tais encontros permitem que o monitoramento seja feito sem se tornar improdutivo e sem atrapalhar as demais tarefas da empresa.

Criar muitos OKRs

Os objetivos-chave servem para mensurar aquilo que é prioridade durante o trimestre. Se muitos objetivos forem criados, a consequência é a perda de foco — muitas vezes, parte dos OKRs nem são lembrados pela equipe.

Falta de alinhamento entre as áreas

Os OKRs servem para alinhamento e, por isso, nunca devem ser definidos individualmente ou apenas por um setor da organização. É necessária uma conversa em conjunto com todas as áreas, a fim de obter mais de um ponto de vista sobre a viabilidade de uma meta proposta ser cumprida.

Todo empresário, independentemente do estado de maturidade de seu negócio, deve dedicar seu tempo para aprender mais sobra a metodologia OKR. Se a empresa ainda não tiver um planejamento estratégico bem definido, poderá aproveitar o momento para iniciar esse processo gastando pouco e obtendo excelentes resultados.

Tem alguma dúvida ou ponto que chamou a sua atenção no artigo? Participe da conversa e deixe sua opinião nos comentários!