Diante da necessidade de isolamento social para evitar a propagação do coronavírus, as pessoas estão evitando, ao máximo, sair de casa. Por isso, os serviços de alimentação que entregam em domicílio vêm sendo cada vez mais solicitados. Vale destacar, nesse cenário, a importância dos cuidados com a higiene de produtos na venda por delivery.

A segurança alimentar é algo muito sério, principalmente quando se trata do consumo fora do estabelecimento. Além da higiene básica no preparo, é preciso ficar atento a mais alguns detalhes na entrega, para reduzir as chances de transmissão do vírus.

Pensando nisso, desenvolvemos este conteúdo, que dá 11 dicas de como colocar em prática a higiene na venda por delivery para garantir a qualidade dos produtos e a segurança da saúde dos envolvidos. Vamos lá?

Na cozinha

Os cuidados com a higiene de produtos no delivery começam na cozinha. Afinal, é preciso ficar atento para que o lugar em que os alimentos são preparados não seja um foco de contaminação de microrganismos que representam riscos à saúde. A seguir, veja algumas dicas boas práticas de manipulação de alimentos.

1. Manter todas as superfícies limpas

Sabemos que, na correria de uma cozinha de restaurante, muitas vezes, as superfícies ficam desorganizadas. Entretanto, deve-se manter as bancadas e mesas sempre limpas, para evitar a proliferação de bactérias, fungos e vírus.

Peça que os colaboradores higienizem sempre esses locais com água e sabão e/ou desengordurante. Ao terminar o serviço, utilize o álcool 70% em gel por todos os objetos, para eliminar de vez qualquer microrganismo.

2. Lavar as mãos

Há uma ideia errada de que é melhor usar luvas no preparo de alimentos. Conforme a declaração da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), elas podem ser dispensadas quando os ingredientes ainda vão ser cozidos. Nesse caso, o ideal é lavar muito bem as mãos sempre, com água e sabão.

Oriente os funcionários a usar luvas apenas quando forem manipular os alimentos já prontos e higienizados, como ao preparar saladas, cortar pães ou montar sanduíches.

3. Evitar a conversa

Ao manipular, preparar e servir alimentos, o ideal é evitar a conversa. Quando falamos, gotículas de saliva são liberadas — além de isso ser bastante anti-higiênico, ainda há o risco de contaminação da comida. Várias enfermidades podem ser transmitidas por meio da saliva e, em tempo de pandemia de COVID-19, todo cuidado é pouco para preservar a saúde dos clientes e dos funcionários.

4. Usar máscara

Ultimamente, as máscaras têm sido muito utilizadas para evitar a propagação do coronavírus. Segundo a Anvisa, na cozinha ela não é obrigatória, dependendo do tipo de empresa e da manipulação do alimento. Entretanto, se for utilizada é preciso que todos os cuidados com a troca do equipamento sejam tomados.

Sendo assim, evitar a conversa ainda é a melhor solução. Para o atendimento e funções em que não há como não conversar, é recomendado utilizar o acessório. Mas lembre-se de que a troca deve ser feita regularmente, para manter a eficiência.

Na entrega

A etapa de entrega dos produtos também exige cuidados, mas ainda ainda há muitas dúvidas sobre como proceder para evitar qualquer tipo de contágio. Confira, a seguir, algumas dicas importantes recomendadas pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel).

5. Orientar o pagamento digital

Sempre que possível, oriente o cliente a fazer o pagamento por meio digital, como nos aplicativos de delivery. Outra maneira mais segura é o uso dos cartões, como crédito, débito, vale-refeição ou alimentação. No final das contas, é mais fácil higienizar o objeto que as notas de dinheiro e as moedas.

6. Embalar o troco

Quando o cliente não tiver como fazer o pagamento digital ou por meio de cartões, é interessante perguntar quanto ele precisará de troco e embalar o valor em um saco plástico. Assim, evita-se a manipulação do dinheiro pelo entregador e reduzem-se as chances de contágio.

7. Higienizar as mãos

Oriente o entregador a fazer a higienização correta das mãos. No caso, como ele passa muito tempo na rua, o ideal é disponibilizar o álcool em gel 70°. Dessa forma, ele pode utilizá-lo sempre que for pegar na embalagem do produto e depois que finalizar a entrega para o cliente.

É muito importante que essas informações sejam repassadas ao colaborador de uma maneira clara e objetiva, para que ele realmente as coloque em prática.

8. Evitar o contato físico

Nós, brasileiros, temos o costume de cumprimentar as pessoas com aperto de mãos. Apesar de isso ser muito cordial, não é indicado atualmente, por conta da pandemia. Sendo assim, oriente o entregador a evitar o contato físico e explicar para o cliente a razão, caso ele estenda a mão para o cumprimento.

9. Tomar cuidado ao tocar a campainha

Outra orientação bem interessante é tocar a campainha com o cotovelo. Quando o cliente atender ao portão, o ideal é se afastar pelo menos 1 metro, distância mínima de segurança na transmissão do coronavírus e de outros tipos de gripe. É mais uma maneira de evitar o contágio tanto do cliente quanto do colaborador.

10. Higienizar o baú e a maquininha

A cada nova corrida, é preciso higienizar a maquininha de cartão e o baú da moto ou bicicleta com álcool 70° em gel. Ao finalizar todas as entregas, é preciso limpar o baú por dentro e por fora com solução clorada (1 colher de água sanitária para 1 litro de água).

11. Manter a moto ou bicicleta sempre limpa

Além de ser bom para a aparência do veículo, manter a moto ou bicicleta limpa faz parte de uma boa higiene na entrega. Oriente o colaborador a realizar a limpeza sempre que necessário, para que passe uma boa impressão aos clientes.

A higiene de produtos na venda por delivery é fundamental para manter a boa qualidade dos serviços e a saúde dos clientes e funcionários. Em meio a uma pandemia, é preciso tomar todos os cuidados para evitar a disseminação do vírus.

Gostou do nosso artigo? Acha que ele pode ser útil para outras pessoas também? Então, compartilhe-o nas suas redes sociais e leve essas informações importantes para os seus amigos!