Nos dias de hoje, a maioria das empresas que desejam garantir a motivação e a produtividade de seus funcionários já reconhece a importância dos benefícios.

Quando ligados à alimentação, além de contribuírem ativamente com a saúde e a qualidade de vida dos colaboradores, eles podem fazer com que a organização usufrua dos incentivos do Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT), do governo federal. Nesse sentido, qual opção escolher, cesta básica ou vale alimentação?

Para ajudá-lo nessa missão, preparamos o artigo de hoje. A seguir, você vai conhecer as vantagens de cada alternativa, tanto em relação aos custos para as empresas quanto à satisfação dos funcionários. Vamos lá?

A cesta básica

Conhecemos por cesta básica aquele conjunto de produtos essenciais a serem utilizados por uma família no período de um mês. Em geral, esses itens são de gênero alimentício. Contudo, em algumas variações são também encontrados artigos de limpeza e higiene pessoal.

Embora também não haja um consenso sobre quais (e quantos) produtos devem fazer parte de uma cesta básica, alguns dos mais encontrados são:

  • leite, arroz, feijão;

  • carne, farinha, óleo;

  • manteiga, açúcar, pão;

  • café, frutas (banana), legumes (batata e tomate).

Quais são as suas vantagens

A cesta básica cumpre com seu propósito de contribuir com a alimentação do trabalhador, tendo em vista que um funcionário bem alimentado tem mais saúde, disposição, produz mais e com mais qualidade. 

Uma vantagem dessa opção é que a empresa pode personalizar o kit de produtos oferecido aos trabalhadores, adequando o benefício aos padrões de orçamento da companhia.

Contudo, essa é uma ação que pode acabar interferindo negativamente no gosto dos funcionários, uma vez que os itens ofertados podem não ser aqueles de sua preferência. 

É interessante também ressaltar que as cestas básicas foram o benefício preferido das organizações durante as décadas de 80 e 90. Contudo, atualmente, elas cederam lugar às praticidades dos cartões magnéticos.

Dados levantados em 2015, inclusive, apontam que apenas 22% das empresas optaram por continuar a oferecer cestas para os funcionários.

O vale alimentação

O vale alimentação é um benefício, geralmente oferecido em um cartão magnético, criado sobretudo para garantir praticidade, tanto para as empresas quanto para os beneficiados.

Ele substitui as cestas básicas, podendo ser usado para comprar itens de gênero alimentício em estabelecimentos como supermercados, hipermercados, mercearias, entre outros cadastrados pela operadora do cartão.

Em outras palavras, o funcionário pode usar seu cartão para fazer as compras do mês, adquirindo alimentos para a preparação das refeições da casa. Dessa forma, não só ele como também seus familiares poderão usufruir de uma alimentação completa e de qualidade.

É preciso lembrar, todavia, que existem regras quanto ao que pode ser adquirido com o cartão. Como o próprio nome diz, seu principal objetivo é possibilitar que o beneficiado tenha acesso a uma boa alimentação. Nesse sentido, somente são liberados para compras itens como:

  • itens de mercearia e de padaria;

  • hortifrúti, laticínios e carnes;

  • congelados e bebidas não alcoólicas.

Quais são as suas vantagens

Como já mencionamos, uma das principais vantagens do cartão vale alimentação é a praticidade. Todavia, há mais vantagens, começando pela facilidade logística.

Sabemos que a compra e a distribuição de cestas básicas envolvem uma série de processos logísticos que, por sua vez, demandam tempo e dinheiro.

Além disso, a empresa precisará escolher uma distribuidora de cestas e os itens que serão fornecidos, isso quando ela não opta por fazer todo o processo de forma interna, deslocando sua própria mão de obra para a realização dessas tarefas.

É justamente aí que entra o cartão vale alimentação, que elimina todas essas tarefas e ainda oferece mais comodidade aos times de RH. Isso porque os créditos são comprados e solicitados pela empresa e transferidos automaticamente, na data agendada, para o cartão de cada colaborador.

Outro fator que conta bastante aqui é a preferência do funcionário, que terá liberdade e flexibilidade na escolha de seus próprios alimentos, de acordo com as suas preferências e com as de sua família.

Além disso, não precisará se preocupar com o transporte e o deslocamento de cestas básicas, o que pode ser um transtorno para muitos.

Ele também não sofrerá prejuízos em casos de furto ou roubo, já que o cartão magnético só pode ser utilizado mediante senha. Logo, pode ser cancelado assim que a prestadora de serviços que fornece o benefício for notificada.

A previsão de gastos é certamente uma das grandes vantagens do vale alimentação, em detrimento da cesta básica. Os alimentos sofrem o efeito da inflação, e a flutuação de preços pode ser um grande empecilho para as empresas.

Para se proteger, elas acabam optando por substituir itens da cesta por outros mais baratos, o que sempre acaba provocando incômodo nos funcionários.

Por fim, há também a questão econômica para as empresas. Como o valor destinado para a compra de alimentos tem caráter indenizatório, ele não está sujeito a tributações fiscais, tampouco interfere no recolhimento do FGTS ou no cálculo de verbas rescisórias em caso de demissão.

Afinal, cesta básica ou vale alimentação? Qual escolher?

Como você pode perceber, a cesta básica é uma opção de benefício que apresenta vantagens. Contudo, o cartão alimentação atende ao mesmo propósito da cesta básica — promover uma alimentação de qualidade para o colaborador — e ainda oferece comodidades que vão muito além das possibilidades da cesta básica.

Com o vale alimentação, o trabalhador tem a flexibilidade de fazer as compras que mais lhe agradam. Isso conta muito, pois o ajuda a personalizar sua dieta.

Além disso, o trabalhador conta com todo o suporte da empresa de benefícios, uma ampla rede credenciada e a possibilidade de acompanhar seu saldo em tempo real. 

Para as empresas, o vale contribui para mais segurança e economia no fornecimento dos benefícios, sem falar na redução de processos, facilidade de gestão e aumento da satisfação dos funcionários. Tudo isso faz do cartão alimentação a melhor opção, tanto para as empresas quanto para os funcionários. 

Cesta básica ou vale alimentação — O que é melhor para o colaborador?

De fato, o auxílio é uma das melhores formas de incentivar os seus times a vestirem a camisa da empresa e se tornarem mais produtivos. Não se esqueça que muito além de um benefício, esse incentivo à alimentação é também uma promoção à qualidade de vida do trabalhador.

Após ter se informado melhor sobre o tema, compartilhe este conteúdo nas redes sociais!