Uma empresa transparente, que permita aos seus colaboradores enxergarem um futuro com oportunidades de crescimento, é o que os melhores profissionais do mercado procuram atualmente. Para tornar isso possível, é fundamental que ela tenha um plano de cargos, carreiras e salários (PCCS) — e que esse plano tenha o respeito e a admiração dos funcionários.

O departamento de Recursos Humanos costuma ser o responsável por estruturar esse projeto. Com ele em mãos é possível promover melhorias nos processos de seleção e contratação de novos empregados, além de planejar a oferta de treinamentos, conquistando a fidelidade das pessoas que trabalham na empresa.

Com o PCCS elaborado, há possibilidade de estabelecer regras claras e justas para as diferenças salariais entre os colaboradores, além dos critérios para promoção e concessão de benefícios.

Mas você sabe como montar um plano de cargos e salários em uma estrutura já formalizada? Neste post, elaboramos um passo a passo para que você consiga implantar essa importante ferramenta da gestão na sua companhia. Continue a leitura para conhecer os detalhes!

Comece sabendo o que é o plano de cargos e salários

No momento de elaborar as estratégias a serem adotadas pela empresa, é importante ter em mente o conceito do plano de cargos, carreiras e salários para que você consiga manter o foco nos objetivos da criação desse projeto. Em resumo, o PCCS é o documento que descreve cada posto de trabalho, com suas respectivas funções e perfis profissionais, além dos salários correspondentes.

Como mencionamos, por meio do plano é possível promover igualdade e justiça entre os trabalhadores, pois ele garante transparência nos processos de promoção e aumentos salariais, por exemplo. Dessa forma, o profissional sente-se mais seguro sobre as suas atribuições e oportunidades de desenvolvimento.

O plano de cargos e salários também ajuda na contratação de empregados, mostrando que a empresa tem uma política consistente de gestão de pessoas.

Além disso, a elaboração do PCCS facilita o planejamento financeiro, auxiliando na tomada de decisões sobre quando oferecer promoções, contratar novos colaboradores, entre outras.

A estratégia também esclarece quais são as funções e atribuições em cada cargo da organização, deixando poucas margens para dúvidas de funcionários. Por fim, ele apoia as decisões do departamento de Recursos Humanos quanto a capacitações, treinamentos e avaliações do pessoal.

Reúna os gestores para consolidar os cargos existentes

Como montar um plano de cargos e salários em uma organização já estabelecida? Primeiramente, é importante saber que nenhuma empresa deve considerar-se consolidada a ponto de não promover constantes mudanças e melhorias em sua estrutura. Só com uma mentalidade aberta a transformações é possível acompanhar a evolução e as inovações no mercado de trabalho.

Ao tomar a decisão de criar o PCCS, os gestores da empresa devem se reunir para consolidar quais cargos devem permanecer em cada departamento e quais devem ser criados. Além disso, devem ser discutidos e apontados os perfis dos colaboradores que atuam em cada um deles. O ideal é que esse processo seja feito com base no organograma atual da companhia.

Muitas vezes, durante esse processo, o departamento de Recursos Humanos, em conjunto com os gestores, percebe que devem ser feitas mudanças na estrutura da companhia. Para que elas possam ser realizadas, é necessário ter pleno conhecimento do funcionamento da organização, das hierarquias e das políticas internas.

Defina os planos de cargos e carreiras dentro da empresa

Nessa fase da elaboração do PCCS, é preciso fazer o que é chamado de levantamento de atribuições, ou seja, é preciso identificar as funções de cada colaborador nos departamentos.

Para isso, entrevistas e questionários costumam ser úteis e eficientes. Por meio dessas ferramentas o RH será capaz de fazer a descrição dos cargos, além de avaliar, uniformizar e padronizar essas funções.

Cada carreira dentro da organização deve ter esses processos identificados e estruturados. Nessa análise é possível destacar e esclarecer quais são os passos de produtividade e qualificação técnica (diplomas, certificados de pós-graduação etc.) necessários para o funcionário evoluir dentro das funções.

Um exemplo que tem sido bastante utilizado por empresas de tecnologia é o uso das palavras júnior, no caso de iniciantes, pleno, para aqueles que têm certa experiência em suas áreas, e sênior, para os profissionais mais experientes em suas funções. Mas você pode estabelecer suas próprias nomenclaturas, de acordo com a cultura da sua organização.

Estabeleça as faixas salariais

Agora que os cargos e as carreiras estão definidos de forma clara, é hora de elaborar as faixas salariais. Isso significa que você deve determinar os valores mínimo e máximo para cada função da empresa. É importante que o departamento financeiro participe desse processo ativamente para que a estrutura não se afaste das possibilidades reais da companhia.

Uma dica para essa fase é consultar tabelas dos sindicatos de cada categoria profissional. Além disso, é possível fazer pesquisas de mercado e benchmarking para buscar referências de outras companhias da mesma área.

Nesse momento, é preciso que sejam criadas regras transparentes sobre como ocorrerão os aumentos de salário e as promoções. Você pode usar como base os seguintes critérios:

  • tempo de casa;

  • absenteísmo;

  • feedback;

  • desempenho;

  • qualificações acadêmicas e treinamentos.

Liste as responsabilidades e o perfil técnico para novos cargos

Para que os departamentos de Recursos Humanos deixem de depender tanto dos apelos dos empregados quanto dos gestores na hora de decidir sobre promoções ou aumentos salariais, é preciso, também, que as atividades desenvolvidas por cada profissional estejam bem determinadas pelo PCCS.

Dessa forma, deve constar no plano quais são as ferramentas que os candidatos devem conhecer e que habilidades eles devem ter para desempenhar cada função, além das qualificações desejadas, como cursos e conhecimentos. Também cabe nessa etapa a definição de quais são os traços de comportamento mais adequados para aquele cargo. Por exemplo, se a pessoa deve ter perfil de liderança ou capacidade de fazer análise de dados.

Comunique-se com seus colaboradores a respeito do plano

Para que o plano de cargos e salários funcione bem é fundamental que haja comunicação entre o departamento de Recursos Humanos, que lidera o processo, os gestores e os demais funcionários. É preciso que eles se sintam parte do processo de criação do PCCS para que haja comprometimento na implantação.

Para finalizar, os líderes de uma empresa devem saber que, além de elaborar o plano, eles devem sempre buscar ferramentas e formas de motivar seus colaboradores para que os melhores talentos do mercado permaneçam na organização.

Agora que você já sabe como montar um plano de cargos e salários, que tal começar a colocá-lo em prática na sua empresa? Siga nossos perfis no Facebook e no LinkedIn para receber mais conteúdos como este!