Os benefícios para reter talentos aumentam a confiabilidade e a competitividade de uma empresa. Afinal, nos dias de hoje, não basta apenas selecionar e recrutar novas pessoas para o corpo de trabalho. A atração e a retenção requerem uma gestão mais comprometida e empática com o contentamento do funcionário.

Apesar da complexidade, muitas empresas investem em programas de atração e retenção dos melhores profissionais — o caso de grandes companhias brasileiras. Com colaboradores eficientes, a instituição aperfeiçoa seu atendimento, otimiza seus resultados e fideliza seus clientes.

Compreenda o que são benefícios corporativos, como descrever os mais eficazes e de qual modo isso pode se tornar um benefício competitivo para sua empresa. Continue lendo o post!

Quais são os motivos da dificuldade em reter profissionais talentosos?

Em uma organização, os colaboradores talentosos tendem a se evidenciar, seja pela sua postura perante os estímulos ou por sua elevada produtividade. Funcionários talentosos detêm uma performance em uma categoria superior.

Dessa forma, é viável saber se alguém tem realmente um talento durante o processo seletivo por meio do seu portfólio de trabalho — os trabalhos que já executou e os resultados atingidos. E, dentro da companhia, por meio das soluções aplicadas.

Reter talentos é uma disputa mais acirrada por duas básicas razões. Primeiro, em razão de haver poucos deles no mercado. Segundo, esses profissionais são, de fato, solicitados pelos concorrentes.

O maior exemplo de que trabalhadores habilidosos são disputados pelas grandes corporações é que, atualmente, existem profissionais com a única meta de achá-los: são os headhunter — como se fossem caça-talentos.

Como a gestão de benefícios para reter talentos pode gerar competitividade?

O mercado jamais passou por um período tão competitivo, em relação aos profissionais de talento. Com clientes mais exigentes e rígidos, ambientes de trabalho repletos de concorrentes, mercadorias com o ciclo de vida encurtado e os meios de comunicação fracionados.

Para constar, somente no ano de 2015, quase 100 mil lojas abaixaram suas portas — atualmente, esse quadro pode estar muito maior.

Diante disso, é efetivamente preciso encontrar uma vantagem competitiva para otimizar os resultados do negócio. Resumindo, essa vantagem é a somatória dos atributos que permitem que a companhia seja exclusiva no mercado.

Nessa lógica, a gestão de benefícios pode ser apontada como um enorme diferencial. Uma chance para aumentar os resultados das equipes e da empresa no geral.

O que são os benefícios corporativos?

Visando manter a competitividade e o sucesso da corporação, os benefícios para funcionários podem garantir a permanência de colaboradores de qualidade em suas equipes e evitar a perda de bons profissionais, representando, em muitos casos, a diferença entre o sucesso e o fracasso de uma organização.

Oportunidades para uma melhor qualidade de vida — incluindo vantagens em redes de academias, terapias especiais, ajuda na solução de problemas corriqueiros e ofertas de entretenimento — estão entre as opções que podem fazer parte de planos de benefícios oferecidos por grandes empresas.

Planos odontológicos, vale-refeição, vale-alimentação, seguro de vida, vale-transporte, vale-cultura, previdência privada, planos de saúde e — no caso das mulheres grávidas — de acompanhamento ginecológico e psicológico também fazem parte das opções de benefícios que podem ser oferecidos a colaboradores, além de serviços disponibilizados pela web (incluindo compra de artigos eletrônicos e livros, entre outros).

Facilidades para a execução de cursos de longa e curta duração em universidades e para o aprendizado de novas línguas em escolas também fazem sucesso nos pacotes de benefício corporativo, já que ajudam no desenvolvimento do funcionário e resultam no aprimoramento profissional.

Como obter uma gestão de benefícios como vantagem competitiva?

Grandes empresas viram uma grande oportunidade de treinar os seus colaboradores por meio de uma universidade corporativa. Antes de ajustar uma tecnologia inovadora ou de transferir processos automatizados, os colaboradores recebem treinamentos.

Mas não é apenas isso, também são oferecidas bolsas de estudos para que os talentos possam se aprimorar. Cursos de idiomas, MBA, graduações e cursos técnicos são contemplados pelo empreendimento. O conceito é que os funcionários se preparem e tragam novos conhecimentos para a companhia.

Por essa razão, se a sua organização necessita de novas lideranças, de especialistas em alguns setores e de desenvolvimento com qualidade, a aplicação na iniciativa é essencial. Isso incentiva o colaborador e faz com que eles também possam oferecer o seu melhor no trabalho e não cogitem em trocar de instituição.

Quais os efeitos da retenção de talento?

Inúmeras vezes, o gestor não entende as vantagens que a retenção de talentos propicia para a instituição, o que contribui para a perda deles para outras empresas. Vejamos os principais fatores para permanecer com esses funcionários e evitar a rotatividade:

  • ajuda a construir um clima de trabalho agradável: quando existe um ambiente favorável, é provável articular boas experiências dentro da empresa, além de preservar o padrão de satisfação dos clientes;
  • garante mais engajamento e produtividade: a ausência de um membro da equipe pode fazer oscilar significativamente os vínculos e a produtividade;
  • dá mais fluidez ao processo de tomada de decisão: profissionais talentosos possuem um alinhamento comportamental imensamente compatível com a cultura organizacional e se dispõem a entregar resultados de excelência;
  • implica em economia para a empresa: o investimento na retenção de talentos também resulta em gastos, mas, além de mais barato do que trocar um colaborador, é também mais rentável em longo prazo;
  • garante que a empresa não perca capital intelectual: o talento que troca de companhia leva com ele todo o conhecimento que reteve durante o período esteve em sua organização.

Em resumo, é importante dizer que as recompensas não precisam — nem devem — ser apenas bônus em dinheiro. O principal ponto deve ser a possibilidade de crescimento profissional e investimento no desenvolvimento dos colaboradores. Bolsas em cursos de idiomas e especializações são ótimos exemplos, assim como treinamentos e coaching que buscam melhorar as habilidades dos funcionários.

Como foi possível ver, a retenção de talentos é um assunto que não pode ser ignorado dentro das organizações. Vale a pena investir em benefícios para reter talentos para que os colaboradores recrutados sintam-se satisfeitos e dispostos a permanecer na empresa.

Gostou do post? Aproveite e entre em contato conosco para tirar suas dúvidas. Nós, da VR, aguardamos por você!